Covid-19, a primeira vez! (Post 2139 – 202/2022)


“Penteadeira” com os remédios para enfrentar Covid-19

Gostava de dizer que tive Covid-19 pelo menos 26 vezes, mas apenas hoje, tive testagem “positiva”, depois de dois anos 3 meses de dura resistência, muita proteção, cuidado, respeito aos protocolos, porém passando por várias situações de riscos devido às várias atividades de trabalho e de Direitos Humanos, impossível se isolar e não atuar.

Em 2020 fiquei 96 dias dentro de casa, saía apenas para compras e cheio de culpa, ao voltar do supermercado, invariavelmente sentia todos sintomas e mais alguns, que nem estavam catalogados para Covid-19, o medo era enorme, uma tensão e a sensação de que nossas vidas estavam por um fio, principalmente com o aumento exponencial de mortes e infectados.

Saí de casa em 16 de junho de 2020, quando explodiu uma revolta na Vila Clara depois do assassinato brutal do garoto Guilherme Guedes, com toda a proteção possível fui ao enterro e depois para manifestação chamada pela família, não tinha como não ir, mesmo com todos os medos, estava sozinho em casa, não poria ninguém em risco.

O ano de 2020 foi terrível, de grandes violações de Direitos Humanos, de desprezo pela vida e negacionismo, pior, sem nenhuma vacina ou droga que pudesse dar esperança de que a pandemia poderia ser debelada. A falta de ação do governo Bolsonaro de negação e de boicotar as ações de governadores, apenas piorava a situação do país.

A virada de 2021, com as primeiras vacinas, era necessário mobilizar a sociedade para pressionar o governo para comprar as vacinas e usar a experiência vitoriosa do SUS para aplicar de forma rápida e ampla, salvar vidas e dar esperança ao Brasil.

Tomei a primeira dose da vacina em maio, a segunda em agosto e a terceira em dezembro, a quarta dose, dia 06.06.2022. Nenhum momento deixei de tomar cuidado, usando máscaras mesmo quando “flexibilizado” o uso, não deixei de usar em nenhum momento.

As vacinas e os cuidados dão confiança para que atuasse mais nas ruas, nas lutas pelos Direitos Humanos, como também em eventos presenciais que começam a voltar com mais força. Sempre mantendo todos os cuidados possíveis.

Infelizmente, desde domingo, dia 12.06, comecei a sentir sintomas de dores de garganta e dores no corpo, que se acentuaram na terça, feito o exame, contatado a infecção por Covid-19, uma lástima, mas é preciso enfrentar.

 Save as PDF

Deixe uma resposta

Related Post

%d blogueiros gostam disto: