How Can You Mend A Broken Heart

1

 

Denzel Washington, O Livro de Eli, ouve a famosa canção

 

Chegamos novamente ao dia mais esperado da semana, o blog não esquece, a véspera do fim de semana, simbolicamente na sexta, temos a nossa música para começar bem os dias de “folga”. Como temos feito nestes últimos 6 meses, tocamos e indicamos uma ou várias músicas, muito de acordo com o humor ou circunstância. A cada semana, uma boa razão para comemorar, refletir e, quem sabe, sonhar com coisas melhores.

A minha inspiração de hoje, ainda está sob impacto do filme de que tanto gosto, que acabei de resenhar, Gênio Indomável, confesso, com muita dificuldade. De repente assistindo ontem a noite, uma cena de um bar Will(Matt Damon) e Sullivan( Ben Afleck), bebem e discutem, mas o som ao fundo baixinho era de How Can You Mend A Broken Heart – na versão maravilhosa de Al Green, ouvindo me afundei mais na emoção, pois amo demais esta canção, tantas vezes gravada.

A letra é dos irmãos Gibbs( Barry e Robin), dos Bee Gees,  lançada em 1971. A versão de Al Green, para mim a mas bela, é de 1972, no álbum  Let’s  Stay Together. Pelo menos em mais dois filmes a música também rola,  O Livro de Eli, também no filme Um Lugar Chamado Notting Hill. Sempre em momentos especiais, reflexivos, parece que ela tem o dom da reflexão, o poder magnético da voz de Al Green, seduz e torna qualquer cena em algo maior.

Al Green How can you mend a broken heart

 

BEE GEES ~ HOW CAN YOU MEND A BROKEN HEART ~ 1971

 

How Can You Mend A Broken Heart – Diana Krall

 

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

One thought on “How Can You Mend A Broken Heart

Deixe uma resposta para Vera Pereira Cancelar resposta

Next Post

A Cegueira Que Nos Rodeia

dom mar 17 , 2013
Share this on WhatsApp   Estávamos Luana(minha filha mais nova) e Eu numa livraria na tarde de ontem, quando uma cena nos chamou atenção, uma garota, talvez de 14 ou 15 anos, falava alto com uma atendente, perguntando por tais e tais livros. A moça um pouco incomodada com aquele […]

You May Like

%d blogueiros gostam disto: