“A vida humana não dura mais do que a contagem de um.” (Hamlet – W. Shakespeare) A notícia (o post) de ontem caduca em minutos. A realidade é efêmera. Tudo que é escrito e/ou falado, seu tempo de “vida” é cada vez menor. A dinâmica das manchetes de jornais, chamadas […]

“Puluis et umbra sumus” ( “somos pó e sombra” – Horácio) Vocês já pensaram em sumir? De repente sair de casa, do trabalho, da cidade, estado ou país e não voltar mais, apagar tudo, RG e CPF, certidões de todas ordem, e recomeçar do Zero. Como se fosse uma segunda […]

O avião se aproxima de Miami, lá de cima procuro a Ilha, a esperança, o sonho, a utopia, a ilusão, o que sobrou de uma ideia. Do alto, olho mais profundo, a velocidade do avião não permite dizer se o que vi era o que era. Dias depois em Key […]

A palavra não volta. Essa é uma regra de ouro em negócio e relações pessoais, tem o significado da confiança que representa. Caso você dê sua palavra, ela vira um compromisso, ganha um ar solene e de valor daquilo que é dito e firmado, algo maior do que um contrato. […]

É fato que por mais que tente criar um post bacana, cheio de esperança e vida colorida, alguma coisa de cirandeiro, como se estivesse num passeio com um unicórnio tendo u, arco-íris de fundo. Droga (leve ou pesada) a dura realidade faz com que não chegue ao segundo parágrafo. A […]

1

“Mesmo na loucura, revela um método” (Hamlet – W. Shakespeare) É quase uma loucura, se não for loucura total, achar que o resto do que sobrou da minha vida será normal, não será, já não foi nos últimos 11 anos de um pesadelo que não acaba nunca, nem mesmo com […]

“O deus soberano, cujo oráculo está em Delfos, nem revela, nem oculta coisa alguma, mas manifesta-se por sinais”. ( Heráclito) É por um mero acaso a maioria das chamadas “revelações”, ou dos insights que modificam os rumos da vida de uma pessoa ou de um estado? Há uma construção anterior, […]

Então chegou a sexta, #sextou uma qualquer, mas é sexta, de uma semana estranha, muito estranha, aquela em que seria de carnaval, que foi “cancelado”, a maior prova de que os tempos são mais do que anormais, nem adiante teimar com a realidade, é o estranhamento o que vivemos, e […]

Querida e amada filha ausente. Lá se foram dois anos e três meses, desde que nos deixastes, não por vontade própria ou nossa, mas como parte do grande  mistério do que é o ciclo da vida, em que não sabemos onde entramos, muito menos quando dele somos arrancados, alguns, bem […]