Músicas, Filmes, O Sentido da Vida

Filmes e músicas para que a vida ganhe algum sentido.

Amanheci ouvindo velhas canções clássicas, em interpretações espetaculares, Unchained Melody e How Can You Mend a Broken Heart, com Al Green, Changes, com Charles Brandley e I’d Rather Go Blind, com Etta James, as potentes vozes negras,  jazz, soul music e a capacidade inventiva de recriar, improvisar, dão mais emoção a cada uma delas e que tanto me encantam.

Em geral gosto de reinterpretações, as leituras diferentes de grandes músicas, pois assim elas parecem renascer, um frescor, é uma oportunidade de que outros públicos possam ter acesso bem diferentes, o que colabora nesse diálogo fundamental de sons e vozes.

A coincidência de hoje é que acordei lembrando de Unchained Melody, ela estava na cabeça, uma propaganda de um filme (não era Ghost), essa versão do Al Green, até hoje é insuperável, aliás, no mesmo show, num canal de TV, ele enfileira dois clássicos em interpretações insuperáveis. Aliás, How Can You Mend a Broken Heart, ouvi no filme grandioso “O Livro de Eli“, um dos melhores do Denzel Washington.

As boas fontes de releituras de grandes e surpreendentes músicas são os filmes, no meu caso, passo a gostar mais desses filmes, quando as músicas são trazidas, quando elas se encaixam no contexto da trama, ou viram referência/reverência musical.

As músicas nos filmes, reinterpretadas, criam sensações de déjà-vu, pois acabo associando as imagens/sons a coisas já vividas, sob aquela música, muitas vezes, retorno ao momento em que as ouvi pela primeira vez, É puro encantamento e prazer.

Nesses dias vi o filme sobre Tim Maia, as suas músicas, como elas aconteceram, a criação, a genialidade e domínio completo, consciente do que fazia, numa cena (provável que tenha acontecido), Tim tenta mostrar uma balada soul que ele fez para Roberto Carlos, porém o Rei não queria balada, queria algo dançante, Tim insiste, Roberto recusa, Tim acaba atendendo Roberto e não mostra mais a música, aquela que talvez seja a maior canção de Tim: Você.

Sigamos, com muita música.

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

A Volta da Escravidão via Aplicativos, Os Limites do Capitalismo.

dom jan 3 , 2021
Share this on WhatsApp Print 🖨 PDF 📄 eBook 📱A Escravidão foi o modo de produção primeiro de exploração privada entre homens e mulheres, substituiu as relações primevas, comuns e sem traço de divisão e hierarquia social e de gênero, ainda não havia Estado, instituições complexa, que, inclusive, ajudariam a […]

You May Like

Arquivos

%d blogueiros gostam disto: