Reflexões de um ano que não acaba

 

 

 

Traduzir uma parte
na outra parte
— que é uma questão
de vida ou morte —
será arte? ( Traduzir-se  –  Ferreira Gullar)


 

Muito difícil escrever um último artigo deste ano, para fechar várias frentes de temas que comecei, as reformulações e caminhos do blog. Até ano passado ainda não tinha encontrado um formato claro do por que escrever este blog, as coisas da minha vida apressaram e a “ferro e fogo” moldaram de forma urgente. Cada tema do blog é uma parte de mim, de minha personalidade.

 

As ideias iniciais eram tão somente passar para este espaço antigos escritos, fichas de leituras e apontamentos de livros, alguns pensamentos dispersos que estavam se perdendo em cada vez que limpava as gavetas de casa, trabalho e da vida. Era um momento de registrar melhor memórias do que fiz e passei, uma forma de no futuro minhas filhas soubessem mais didaticamente quem eu sou, quem eu fui, principalmente.

 

O ano de 2010, com o acirramento eleitoral e a Doença da minha filha, dei uma primeira virada no blog. Se, por um lado a campanha eleitoral despertou a necessidade de escrever mais sobre política, debates, engajamento e intervenção. Noutra mão, a doença da minha filha me desarmou, mudou radicalmente minha vida, meus pensamentos, passei viver à deriva, ao sabor do vento, sem um norte, sem chão. Foi muito difícil vencer 2010.

 

Porém, este ano, resolvi dar uma guinada, já em janeiro, logo após a posse da Dilma, as primeiras polêmicas, percebi o quanto este ano seria complicado, a mudança da conjuntura mundial com o agravamento da Crise, que já no governo Lula, lá por Agosto/2010, ele começou um processo de freio na economia, aumento de juros, mas não foi compreendido pela militância mais organizada, que passa a atribuir à Dilma boa parte dos problemas sem vislumbrar o que passa no mundo.

 

Ao longo do ano resolvi, da minha forma, escrevendo muito sobre a Crise atual, que se prolonga por 3 anos e meio no centro do capitalismo,  que chamo de Crise 2. 0, são mais de 50 artigos, uma visão construída em Marx, partilhando a análise com a militância sobre o “balé” do grande Capital e de seus representantes. Talvez esta seja a minha maior contribuição, não sendo uma imposição de verdade, mas uma busca de entender o processo mundial, seus reflexos aqui. Até entender como países como o Brasil, ainda não caíram diante do mergulho radical das economias centrais, grande mérito tem Lula e Dilma, mas até quando, sem uma nova saída do Capital e, sem uma revolução no centro, o país resiste à crise?

 

Muito mais além disto, consegui escrever sobre minha vida no exterior, as Crônicas do Japão , foi maravilhoso recontar uma bela passagem da minha vida, acho que aquilo de escrever sobre o Japão, foi quase que morar de novo lá, foi um trabalho que me deu muito prazer, gosto de reler e reviver aquele momento.

Mantive a produção também voltada à vários posts de reflexões, literatura, que tanto me satisfaz, contar sobre filmes, livros, mitos gregos. Busquei diversificar os temas que escrevo e dar um caráter mais amplo ao blog, o que no fundo apenas diz: Todo dia busco saber que sou Eu, mas estou longe de me encontrar(ainda bem).

 

Claro que agradeço imensamente aos amigos que têm a paciência de me ler, me corrigir nos muitos erros de português, de imprecisões de informações, tudo contribui para um blog melhor, mas principalmente me torne uma pessoa melhor, que enfrente melhor meus demônios e diatribes. Meu muito obrigado, quem em 2012 continuemos juntos a debater e crescer, sem medo das diferenças, que aprendamos com elas.

 

 

 

0 thoughts on “Reflexões de um ano que não acaba”

  1. Nós seus leitores é que devemos agradecer-lhe, pelo tempo dedicado ao blog, pelos artigos que vc generosamente compartilha com todos e
    agradecer ainda pelo espaço democrático ao debate.
    Um ano maravilhoso para vc e sua família em 2012 Arnóbio
    e que na convivencia todos encontremos a solidariedade
    de que todos precisamos para atravessar as dificuldades pessoais
    e as dúvidas politicas.
    Um abraço

  2. Seu blog sempre informativo,afetivo,emotivo…muito bom!!
    Viajei para o japão,entendi um pouco mais de crises internacionais,me emocionei com sua dor de pai,aprendi sobre Deuses e Deusas Gregas.Enfim….bebi de sua poção. Parabéns!
    Desejo muita saúde,paz,harmonia… nesse ano que tá aí…prontinho para começar.Feliz 2012!!

    “Todo dia busco saber que sou Eu, mas estou longe de me encontrar(ainda bem)”. Dois.Faço parte desse clube.
    Abraços.

  3. Grandes reflexões nos propiciaste durante o ano de 2011. Fiz questão de repercutir vários textos teus entre os meus amigos e companheiros. À esquerda falta justamente a reflexão. Esta reflaxão dá as condições necessárias para que possamos elaborar o futuro da humanidade. Senão, todas as novas primaveras que o povo criar nas ruas acabarão em barbáries e ditaduras. O “bom ano” avaliado pela presidenta Dilma no seu pronunciamento, de fato o foi. Mas é preciso que o PT em especial, e as esquerdas em geral elaborarem para além de um bom governo que gere bem o estado capitalista e propicíe melhor distribuição de renda. E por isto as tuas reflexões contribuem em muito para este debate. Muito obrigado pelo já fizeste. Precisamos que continues fazendo e escrevendo em 2012. Feliz Ano Novo!

  4. O que dizer de você, grande companheiro de aventuras virtuais “subversivas”? Como bem pontuou a Beatrice, nós é que lhe agradecemos pelo tempo dedicado, pela sua amizade, além do equilíbrio e ponderação.

    Quem 2012 seja mais um ano de aprendizado para nós!

    Abração

    Alexandre

  5. E o ano está se acabando…. e temos a oportunidade de ler um bom texto. Obrigada por sempre compartilhar as suas reflexões.
    Tenha um ótimo ano, que 2012 só lhe traga alegrias
    Um abraço

  6. Tivemos um maravilhoso ponto de encontro aqui, um porto seguro em muitos assuntos que deixam a maioria das pessoas feito barata tonta. Aqui a gente se achou! Beijão, feliz Ano Novo, felicidade para a família e… obrigada pelos peixes!

  7. querido, nesse ultimo ano, se vale de alguma coisa, você ganhou ao menos uma fã: eu. mas sinceramente, acho que ganhou inúmeros fãs, e principalmente, fez com que pensássemos melhor sobre nossas próprias ideais. obrigada por compartilhar. boas festas!

  8. Arnóbio, gosto mto do seu blog e tudo que tem nele- desde as crônicas do Japão- deliciosas, até qdo compartilha conosco as dores de um pai- me comove muito e vc sabe, torço aqui o tempo todo pela sua filha e por vcs.
    Um ano com mais saúde, principalmete e muita tranquilidade para todos. Um abração, da amiga distante, mas nunca ausente. Elianne

  9. Ótimos textos e o novo formato do Blog deixou a leitura com jeito de papo de amigos, aonde sempre pode chegar mais um. Destaque para os escritos sobre a Crise 2.0, primorosa.
    Que 2012 traga saúde, amor, paz, prosperidade para você e família. Feliz Ano Novo!

  10. Amigo, não tenho paciência e sim prazer em ler teus textos, embora o faça com menos frequência do que gostaria. Uma das coisas mais bonitas de 2011 para mim foi ter conhecido você, o povo do teia e dos blogs todos que só nos acrescentam, ensinam, desafiam a sempre olhar pra nós e rever conceitos, ideias e reafirmar ideais. Que em 2012 e nos próximos anos a gente possa compartilhar ainda mais nossos sonhos. Abração, saúde e paz pra você e a família! Feliz ano novo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: