Uma Supermãe

 

 

Hoje dia das mães, as minhas meninas surpreenderam a mãe. Elas  acordaram mais cedo e fizeram cupcake sozinhas, leram as instruções e prepararam, realmente uma coisa muito legal, e ficou gostoso. Elas estão grandes, sabem agradar e fazer coisas especiais, mais ainda para uma mãe especial, que se dedica a elas, se doa, uma verdadeira fortaleza. Em toda doença da Letícia, como se desdobrou e jamais deixou cair a peteca, sem esmorecer, abriu mão de tudo, mestrado, consultório, vida, e mais uma vez deu cada minuto para que a Lê não se sentisse sozinha ou desamparada.

 

Estas ações grandiosas, nunca serão esquecidas por todos nós, a pequena Mara, se tornou uma gigante, uma força e presença inacreditável, uma fé inabalável de que  nada atingiria nossa filha. Os dias e noites que passamos no hospital, ela discutindo com médicos, enfermeiros, pouco sono, vigilância absoluta para que os remédios e cuidados nunca fossem negligenciados. Mas o que mais admirava era a tranquilidade , a serenidade, numa situação tão desesperadora, ali não permitia baixar guardar ou qualquer vacilo, olhava fundo nos olhos e o indefectível, vamos em frente, sem moleza.

 

As minhas filhas têm uma grande certeza, a mãe delas é uma mulher exemplar,uma lutadora e vencedora, que não mede esforços para tornar a vida delas especiais, melhor, com amor, carinho, amizade e participação. Ao mesmo tempo, não economiza mas palavras duras, em chamar atenção, mostrar o caminho, alertar, exigir que sempre façam o melhor na escola, nas tarefas, nas brincadeiras. Tem uma paciência incrível para fazer as coisas com as meninas, desenhar, elaborar, planejar, arrumar as coisas, incentivando que as duas aprendam a ser independentes, que saibam fazer de tudo.

 

A questão de ser mãe num mundo como o atual é desafio para mulher, mas não apenas dela, sem a participação do homem, dividindo tarefas, entendo a igualdade entre os gêneros, superando barreiras, não se consegue equilíbrio para que vença. Tanto o homem como a mulher têm responsabilidades pesadas com participação financeira da casa, portanto as tarefas domésticas também têm que ser repartida, para aliviar as duplas/triplas jornadas que antes eram exclusivas da mulheres, hoje, isto não cabe mais, o comprometimento tem quer ser de todos. Os filhos desde cedo já percebem o mundo que vivemos, como somos.

 

Nós homens, por mais  participativos, conscientes, não conseguimos ainda chegar no patamar de igualdade necessário, a luta diária é intensa, trabalho e ainda tarefas domésticas, questões escolares, exigências de atenção e carinho. Ser mãe é tarefa de pai, assim como ser pai é tarefa de mãe, esta ajuda mútua é difícil, complexa, nem sempre se consegue sair da teoria, se efetivar na prática, hora chegamos perto, hora nos afastamos. Nossas meninas tiveram uma grande sorte pelo que procuramos fazer, mas, mais ainda, pela mãe espetacular que têm. Tudo que fazem por ela, como hoje, é uma bela retribuição pelo que recebem.

0 thoughts on “Uma Supermãe”

  1. Arnóbio, belo depoimento. Parabéns pela lucidez e pela simplicidade com que você contextualiza a relação pai-mãe-filhas vivenciada por vocês. Abraços.

  2. Que lindo, Arnóbio!
    Mara realmente é uma mãe linda!
    Que a família de vocês permaneça sempre unida e forte.
    O amor e a fé tudo podem vencer!!!!
    Deus abençoe cada dia mais!
    Abraços,
    Lígia.

  3. Parabéns para Mara por ter essas filhas maravilhosas e por ter você Arnóbio sempre ali do lado em todos os momentos.Vocês são para me sinônimos de Fé, Respeito,Amizade, Confiança, elementos fundamentais para uma Família feliz.Bjos

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: