O Batman "Gordinho"

 

 

Batman (Adam West) and Robin (Burt Ward) Picture: 20 CENTURY FOX

 

 

Olha, não sei vocês, mas, Eu, gostava demais  do Batman “gordinho”,  interpretado pelo Adam West, era um seriado dos mais trashs da tv, de tão ruim, era bom. Os socos que abriam uns pop-ups , com “Pow”, “bam”, era a marca daquela série. As falas dos personagens também são inesquecíveis, tudo que podia ser ruim, ele conseguiam piorar, mesmo assim o resultado final era um programa imperdível. As cenas entre um episódio e outro, com aquelas perguntas ridículas, se a dupla dinâmica iria sobreviver, são antológicas.

A diversão era justamente esta, perceber que aquele conjunto mal feito era capaz de produzir ótima diversão, os atores se superavam nas interpretações ruins, a música de fundo, tudo era de um profundo mau gosto, mas que funcionava muito bem. As cenas em que Batman e o Robin escalavam prédios e as capas ficavam coladas ao corpo era sensacional, desmitificava qualquer efeito especial, era exibido como filmado, sem truques. Os personagens convidados, compunham uma fauna divertidíssima, o Coringa de César Romero é inesquecível ou o Pinguim de Burguess Meredith. O maravilhoso Vincent Price fez ponto como malvado Cabeça de Ovo.

 

Adam West como Batman e Burt Ward, Robin, são figuras especiais nesta série, eles davam um ar de comédia a aventura, não raro víamos Adam West rir da situações que seu personagem se metia. A voluptuosa Julie Newmar, como mulher-Gato, em contraste ao meio abobalhado Batman, tornava a situação mais cômica. Em verdade, este Batman foi uma série mais “séria” do que o Agente 86, mas é impossível não lembrar pelo lado cômico de ambas. Às revejo alguns dos episódio e é diversão garantida.

 

 

O Batmóvel era uma atração a mais, aquele típico carrão americano anos 50, nada de adaptação especial, apenas os detalhes e as cores fortes. Os acessórios de Batman e Robin, ou dos inimigos, não raro falhavam, aquilo podia nem ser de propósito mas dava mais graça aos personagens. Forma 60 episódios, de duas partes cada, totalizando 120, que tanto marcou, nada a ver com as futuras versões de cinema do Batman, algumas adaptações excelentes, outras muitos ruins. A melhor é a atual, que são baseadas nos desenhos de Frank Miller. Mas nada como lembrar e se divertir com aquele Batman trash.

 

Algumas cenas clássicas

Imagem de Amostra do You Tube

 

Um episódio completo

Imagem de Amostra do You Tube

0 thoughts on “O Batman "Gordinho"”

  1. Não tinha nada ruim, não, era tudo MUITO BOM, ra, ra, ra!!!

    Amava a musiquinha de abertura (e o desenho com as onomatopeias), a bat-caverna, o mordomo elegantérrimo – e morria de tesão pela Mulher-gato (já pela Batgirl nem tanto… Freud explica…).

    Acho a série mil vezes melhor e mais divertida do que os filmes milionários feitos depois – e tô pouco me lixando se estes são ou não mais fiéis aos quadrinhos originais.

    Ótimo post!

  2. Quem viu, viu! Era uma delícia essa série! E os capangas do Coringa, do Charada, do Pinguim, vestidos todos a caráter?
    E o bat-cinto de utilidades?
    Realmente um marco na história da televisão, com um humor nonsense mas sem um pingo de apelação. Os personagens caricatos, os “defeitos especiais”, as atuações canastronas, realmente se tem uma série que merece o adjetivo “impagável” é essa!
    A máscara do Batman com aquelas sobrancelhas pintadas também era genial.
    Grande abraço, meu caro – voltei uns aninhos no tempo com seu post!

  3. Santo dom, Arnóbio!!! Visto pela perspectiva de sua visão privilegiada e poética, com uma pitada de saudosismo, deu até saudade. Mas para os fãs do herói das HQs aquilo era simplesmente uma paródia com a capa esticada. TAN nan nan nan nan, nan nan, nan nan, BATMAN!!!

  4. Soube que a oposição, a mando de Litle Charles, pretende lançar candidato em Gothan City. Nosso velho Batman terá muito trabalho.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: