Coincidências de uma Crise do Kapital x Crise do Coronavírus

O Poço é perturbador, incomoda e faz refletir e foi um marco nesse período de Pandemia.

 

No dia 15.09.2008, a Bolsa de NY abriu o pregão com as notícias da quebra do Lehman Brothers, um dia antes era um sólido banco, triplo A, virou pó em horas. Qual a reação do FED? Diminuiu os juros em 1% e pôs 700 bilhões de dólares na economia, para resgatar os subprimes.

A história se repete como farsa, em 15.03.2020, o mesmo FED anunciou a queda de 1% dos juros básicos e oferece…700 bilhões.

Durante um ano, 2008/2009, Bush, depois Obama, deram 5 trilhões de dólares para resgatar empresas, o país empobrecia, nos anos seguintes, a lista de bilionários mais que duplicou, em linha, a mesma conta das falências individuais.

Quanto gastarão na crise econômica atual, afetada de forma colateral pelo Coronavírus? Ela combinará a crise cíclica com crise humanitária, com o ESTADO desmontado.

Trump, muito pior que Bush II, em seu radicalismo liberal, expressava dia a dia seu ódio ao ESTADO, à ciência e ao FED, entretanto ficou mais do que  feliz com a intervenção…do Estado na Economia.

Mais uma vez, uma crise humanitária, será o biombo do salvamento do Kapital, pelo Estado.

Por todos esses meses de pandemia, Bolsonaro boicotou todas as medidas de combate passar à pandemia, depois de ampla destruição do Estado, há um movimento de intervenção do Estado, tudo isso, para dizer que não há milagres, mas interesses.

As insinuações sobre Economia Política x Coronavírus, não respondem à crise, a humanidade caminha para uma catástrofe, pela consciente decisão de desmonte do Estado, o coronavírus apenas expôs essa política, no momento de “ajuste cíclico”, que dura um ano e meio, quando deu o primeiro sinal de que a economia sofria os efeitos da superprodução de kapital.

Algumas vezes subestimei os efeitos do vírus, faço meia culpa, sua dimensão, entretanto não arredo o pé da análise da Crise, o instrumento que Marx legou para Esquerda, poucos sabem, o próprio Kapital usa a ferramenta.

Por fim, uma vez mais vale ressaltar que, assim como na Crise de 2005-2008, quem paga a Crise é a classe trabalhadora, e o povo, ao mesmo tempo que os bilionários, nunca ganharam tanto como agora, com toda paralisia da Economia.

Por que o Coronavírus não impediu o crescimento dessas riquezas? como diziam os novos malthusianos, e que negam a análise da Crise de Superprodução, que viam que a catástrofe seria de todos, até dos bilionários, será que ainda pensam assim?

Avante e solidários, companheiros.

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

Ode ao MST

sex ago 14 , 2020
Share this on WhatsApp O Movimento dos trabalhadores rurais Sem Terras, é, sem medo de errar, o mais importante movimento popular da história do Brasil, nascido no campo com grande repercussão nas cidade, pequenas, médias e grandes. O MST reúne em si a força humana que vem da terra, combinada […]
%d blogueiros gostam disto: