Diário de Redenção – Dia 2 – Sentimentos e Agradecimentos.

A solidariedade humana em ação.
“Enquanto aqui ressonais
Uma conspiração vigilante
Toma forma, a todo o instante.
Se à vida tendes amor
Sacudi o sono, senhor.
Acordai, desse torpor!”
(A Tempestade – W. Shakespeare)
Essa é uma obra das mais místicas e de difícil localização na obra monumental do bardo inglês, pois ela parece uma tragédia que vira uma história de amor, mais importante, reconciliação e redenção, o lado sombrio, sórdido, vira luz e sonhos, o que diz tanto sobre o momento que vivemos.

Por muitas vezes leio, ou ouço, de que entendem o que é o tamanho do sacrifício que estamos fazendo pela Letícia. Fico quieto, para não parecer grosseria, mas não existe nenhum sacrifício no que fazemos, Mara, Luana e Eu, ao contrário, o que sentimos é um genuíno prazer em poder acompanhar essa saga heroica de nossa garota.

A luta é dela, somos coadjuvantes, o que podemos fazer, faremos, não por formalidade e laço familiar, é muito maior, a razão sem vacilo, é porque acreditamos o quanto ela é gigante, generosa e forte, em aceitar nosso apoio, incondicional.

O amor se molda de forma mais profunda não pela tragédia que sobreveio, pois ele, o nosso amor, não tem nada de piedade, pesar, mas se afirma na arte de lutar pelo que sabemos que vale cada dia e momento, ainda que tenha apareçam todas as adversidades, medos, riscos e incertezas, nos olhamos e nem falamos, é implícito: Estamos juntos e felizes.

Trazendo ao mundo real, o segundo dia é de expressar e marcar nossos sentimentos, mas também de agradecer a cada um que nos manda mensagens, em todos os lugares, redes sociais, contatos pessoais, que se solidarizam com ela, por extensão, conosco. Essa é a magia da vida, unir os mais improváveis dos mundos, num único momento, pois a vida é UNA, somos Um.

Seria impossível escrever todos os nomes de cada um/uma, são centenas, alguns de amigos/amigas tão próximos/próximas, avós, irmãos e irmãs, tios e tias; colegas de escolas, da universidade. Como também de outras e outros pessoas que se tornaram amados e amadas, porque tiveram a incrível sensibilidade de se comover com a Letícia, sem que jamais a tenham visto.

Especial agradecimento à Dra Maria Tereza de Assis (Teti) que no acompanhou por 8 anos e 5 meses, em todos os momentos, com dedicação, carinho e muito profissionalismo, foi tão espetacular que nos trouxe para os cuidados da equipe da Dra Adriana Seber, que recebeu a Letícia como se fosse uma amiga de longa data, o acolhimento que jamais podíamos imaginar encontrar, nessa situação limítrofe, em que prevalece o distanciamento.

De prático hoje, no dia 2, teve a adaptação ao Blinatumomabe, ontem foi tenso, na primeira aplicação teve uma rejeição, mas durante a noite e nesse dia, tudo entrou em fase. Hoje é dia de exames e exames: Mielograma para detalhar os parâmetros do futuro transplante, Líquor, punção lombar e colocar um Pic de acesso, paralelo ao cateter existente, para permitir duplo acesso, um para drogas comuns e outro para o Blinatumomabe, que corre 24 hora por dias, por 28 dias seguidos.

A vida tem esses encantos de proporcionar encontros tão incríveis, em situações tão complexas e que nos impulsionam a viver e acreditar na vida.

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

Diário de Redenção - Dia 3 - A Questão da Fé.

qua nov 14 , 2018
Share this on WhatsApp “O deus muda o rumo, o céu deixa e vem à terra sem disfarçar; tanta é a fé em sua figura.” (Metamorfoses – Ovídio) Em nenhum momento da vida subestimei ou menosprezei a fé alheia, em particular, enquanto características religiosas esotérica e política, pois ela, a […]
%d blogueiros gostam disto: