“Liberdade de Imprensa” Contra o Viomundo

 

Em plena sexta-feira santa, o maior burburinho da blogosfera foi a condenação do jornalista Luiz Carlos Azenha, pela justiça do Rio de Janeiro, a indenizar o Diretor da Globo Ali Kamel, por “difamação”. Ali, num espécie de editorial, Azenha, anunciou em seu blog, o Viomundo, que devido o processo estava inclinado a fechar o blog, no artigo : Globo Consegue o que a ditadura não conseguiu: Calar a imprensa alternativa.

A se concretizar de fato, este fechamento, será desastroso, pois se trata de um dos maiores e mais importantes blogs políticos sem vínculos à grande mídia. Pela ordem o Blog do Nassif, do jornalista Luis Nassif,  depois o Conversa Afiada de Paulo Henrique Amorim. Com certeza, não é mera coincidência que estes três grande blogs estejam entre os mais visitado, são grandes jornalistas que atuaram com sucesso na grande mídia, que de foram diferente se tornaram “dissidentes” da ditadura do pensamento único.

A audiência da blogosfera alternativa, ainda não faz frente aos grandes portais, muito menos atrai grandes anunciantes, públicos ou privados, mas o que tem por trás desta tentativa de os calar, através de processos judiciais é o a repercussão de vozes destoantes do concesso midiático. Nestes três blogs, há críticas ao governo, mas há também reconhecimento dos avanços alcançados nestes últimos 10 anos, não veem o governo como inimigo, mas como impulsionador de mudanças, ainda que com muitos limites.

O que incomoda cada vez mais à grande mídia é a possibilidade de ex-jornalistas formados em seus órgãos, possam  criar alternativas próprias de comunicação, sobreviver sem eles, produzir com qualidade e ter público para debater novas ideias, com mais dinamismo do que suas estruturas carcomidas e comprometidas com o atraso. Isto é imperdoável, toda aquela propaganda de “Liberdade de Expressão”, Liberdade de Imprensa”, caí por terra quando se usa do poder econômico e dos vínculos com o judiciário para impor medo e sufocar a tal “liberdade de informação”.

Aqui não se trata de debater ou não o direito de defesa daqueles que se sintam ofendidos por qualquer órgão de imprensa, pequeno ou grande, mas a contradição, de que estes mesmo senhores usam destes imensos meios de comunicações para impedir qualquer reparação quando ofendem ou mentem sobre pessoas e governos. Se alguém, ou governo, tenta processá-los, seus ricos editoriais, amplamente repercutidos entre eles, gritam que estão sob “ameaça”, mas quando sufocam aos pequenos, é um completo silêncio. Qual juiz não temerá julgar quando de um lado tem uma Globo?

O desequilíbrio de uma relação de processo é evidente, o Senhor Kamel, usa de uma máquina poderosa, rica, cheia de braços e mãos, para aplastar um pequeno órgão, em nome de que? Liberdade de Imprensa? Liberdade de Expressão? O que é mais estranho é o silêncio, não apenas dos demais órgãos, que são coniventes, mas de uma gama de pessoas que se dizem defensores da liberdade, mas acham normal um poderoso diretor da Globo arrancar uma indenização de um blog, que não lhe é simpático.

O que se seguiu ao debate, proposto por Azenha, sobre o fim do seu blog, devido à pressão econômica, é que tipo de alternativa a blogosfera pode oferecer e resistir a este tipo de tática de calar qualquer iniciativa fora dos círculos políticos e ideológicos da grande mídia. De cara, uma boa parte dos blogueiros além de denunciar o processo, quer se organizar em torno de Azenha para ajudar no processo, um fundo solidário, algo assim, mas principalmente se unir politicamente pelo direito de existir, sem temer ser calado via judiciário.

Uma série de polêmicas também desaguaram a este processo, como a questão da lei de meios de comunicações que não avançou, em todos estes anos.  A questão distribuição das verbas públicas, que continuam a alimentar enormemente os grandes meios de comunicações. Os questionamentos sobre atuações de Paulo Bernardo e Helena Chagas nos ministérios de comunicações e SECOM. Vários tiros trocados, no momento que exige maior união, com, inclusive, uma tentativa de dizer quem é quem não blogueiro, de acordo com seu posicionamento político diante do governo atual.

Neste pequeno espaço, com minhas parcas forças, me solidarizo ao Azenha, me colocando à disposição naquilo que for possível fazer nesta luta contra o poder da Globo.

3 thoughts on ““Liberdade de Imprensa” Contra o Viomundo”

  1. Situação complicada essa da blogosfera, por vários motivos: da falta de uma regulamentação a um judiciário que privilegia a grande mídia.
    Tomara que encontrem uma estratégia na reunião de amanhã, e que o VIOMUNDO permaneça na internet.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: