A Podridão na Espanha

2

 

 

Lixo se acumula nas ruas de Sevilha / Foto: EFE

 

Escrevi muito sobre a Espanha na série sobre a Crise 2.0, cheguei a publicar um roteiro ( Crise 2.0: Espanha em Chamas – um Roteiro ) que reuniu vários artigos que tinha o país como centro do debate. Para além da crise econômica, a estrutura de poder ilimitado que recebeu Mariano Rajoy, permitiu que sufocasse investigações sobre os escândalos bancários, em particular do Bankia, que jogou mais para baixo a economia cambaleante. Agora com o escândalo do financiamento do PP, não dá mais para esconder o caos.

Infelizmente não são apenas as ruas de Sevilha que exalam o mau cheiro do lixo que se entulhou aos montes devido à greve dos lixeiros. Em Madri a podridão que sai de Moncloa infesta a capital e o País, Rajoy tentou fugir, buscar uma agenda, digamos, “positiva” se encontrando com Merkel, que por mera coincidência, quando ano passado estourou escândalo do Bankia, a chanceler recebeu o Presidente espanhol e passearam de barco em Chicago, como se nada ocorresse na Espanha, agora foi em Berlim. Mas, Rajoy teve que ser constrangido na conferência de imprensa, nada se perguntou sobre a cúpula da UE ( ver Cúpula da UE Ou, Onde Os Verdugos Se Encontram), apenas o escândalo do PP, que pode lhe custar à cabeça.

A edição eletrônica do El País, ainda aberta, pois a maioria dos jornais fechou à leitura, estar coalhada de matérias que detalham o maior escândalo político em décadas, as vísceras do PP estão expostas, partido de extrema-direita que tem ligações com radicais religiosos. Uma anistia aprovado pelo atual governo para legalizar fortunas de empresas e pessoas que quisessem trazer de volta ao país que sofre uma derrama violenta de fuga de capitais desde julho de 2011, que atingiu mais de 40% do PIB. Porém, agora, se descobriu que a medida servia para o “consumo”interno do PP, seu ex-tesoureiro, Luis Bárcenas, repatriou 10,5 milhões de Euros, mas um erro contábil o denunciou, pois pagou a multa, com dinheiro de outra conta ilegal.

Vasto material de denúncias contra o PP e as ações de Luis Bárcenas, como a distribuição de fundo partidário ilegais, um caixa dois, alimentado por empresários que logo a seguir eram beneficiados pelo governo, desde Aznar ao atual. O jornal El País tem uma página eletrônica ( Caso Bárcenas ) dedicada ao entendimento do caso, nome dos empresários que participavam do esquema, os políticos que recebiam os fundos, tudo que coloca o governo Rajoy nas cordas, ministros atuais e os do Governo Aznar tendo que se explicar, tudo isto ajuda a piorar a já combalida imagem da economia espanhola, na segunda houve uma queda violenta da bolsa( recuperou em parte ontem) e do prêmio de risco.

O presidente da entidade patronal, Joan Rosell, chamou uma coletiva de imprensa, e desolado constatou, segundo o El País : “O presidente da CEOE citou exemplos de corrupção na Alemanha, Itália ou França: “Em cada país há”, disse ele. ”Na Espanha, neste momento tem sido um desastre, porque estávamos a melhorar nossa imagem externa e custou-nos muito. Não foi milagroso nem por mágica, mas um monte de esforço. E em um minuto, e tropeçou para baixo, tem sido catastrófico. ” (El País, 06/02/2013) . Depois continuou dizendo que “”A economia estava começando a se estabilizar. Em janeiro o financiamento das empresas vindo de fora tinha sido fantástico, a dívida pública também mudança tinha sido brutal e até há elementos positivos na economia real. Mas os últimos dias têm sido um banho de água fria “(El País, 06/02/2013). 

O veterano articulista José Maria Izquierdo em sua coluna “El ojo Izquierdo” , faz galhofa da mídia que tenta salvar Rajoy ( El aguerrido escuadrón “rajoysta” ) num determinado momento ele fulmina: “Jornalismo? lixo? Sim, realmente.Mentimos para espasmos? Leitores ultras mais? Bem, bem”. Ele demole a mídia dizendo que, os jornalistas  da Espanha preferem  “a Luis Barcenas no Ministério da Fazenda antes Rubalcaba mestre daMoncloa”. Alguém lembra de como se comporta a mídia do Brasil e seus desejos de Direita? Momento terrível da mídia em todo o mundo, o desejo dos patrões sobrepõem o jornalismo, acabou-se.

O caso da Espanha não é único, mas é didático, ela representava, junto com Portugal, o novo modelo de crescimento e desenvolvimento da nova Europa unida, com a crise, o fajuto modelo ruiu, o velho cabedal da Troika, via planos de Austeridade do FMI, foram aplicados, o que piorou ainda mais o país, mas numa toada de cegos continuam a insistir rumo ao precipício. Por sorte, ou azar, este novo escândalo pode afastar do Governo este grupo radical, quem sabe abra novas possibilidades. É o que desejamos para Espanha e seus trabalhadores e o povo que paga a dura conta.

Nada parece fácil, na Espanha e no Mundo, acompanhemos.

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

2 thoughts on “A Podridão na Espanha

  1. Meu amigo, muito agradecida por trazer-nos tão importante informação e conhecimento. Até para valorizarmos mais o que somos e o que temos aqui. E para desejar que lá, também despertem, e parem de seguir os cantos de sereia dos senhores feudais do poder.

Deixe uma resposta

Next Post

Cúpula da UE: Orçamento Esotérico

qui fev 7 , 2013
Share this on WhatsApp     E hoje começa mais uma reunião de cúpula da UE, voltei aos velhos tempos da  série Crise 2.0, não resisti ao apelo da cerimônia, os dois artigos( Cúpula da UE Ou, Onde Os Verdugos Se Encontram e A Podridão na Espanha), precedentes ao encontro, apenas demonstram o clima em […]
%d blogueiros gostam disto: