Arnobio Rocha Diário de Redenção #Leucemia: 9 anos Depois…

#Leucemia: 9 anos Depois…


A pequena e heroica Letícia, que trajetória incrível.

“I’m waking up to ash and dust
I wipe my brow and sweat my rust
I’m breathing in the chemicals”  (Radioactive – Imagine Dragons)

#Leucemia : Quando ela bate na sua porta!, foi esse o nome do primeiro artigo contado do que aconteceu naquele fático dia. Há nove anos, 11.06.2010, uma sexta, abertura da copa do mundo na África do Sul, foi o dia que mudou nossas vidas para sempre, que teve seu final, com a morte da Letícia, em 18.11.2018.

Naquele dia, depois de quase um mês que pelo menos dias vezes por semana, a pequena Letícia tinha dores lancinantes, na madrugada por horas a fio.Desesperados dávamos remédios, ficava nos meus braços chorando de dor e ela não passava, até, cansada, adormecer por desmaio de tanta dor.

Já a tínhamos levado para tantos médicos e nenhuma conclusão, era dor nas costas pela mochila, nas pernas pelo crescimento, TPM, até que no Santa Catarina, um plantonista pediu um exame de sangue completo. O Doutor, ouviu a narrativa dos vários episódios e percebeu algo grave, ele era residente em oncologia infantil. Horas depois, a constatação de que era Leucemia.

Dali em diante, Leticia suportou tudo e mais um pouco. De menina, virou uma mulher, sem direito à adolescência normal. Lutou heroicamente, na primeira internação que seria de 7 a 14 dias, ficou 69 dias, 12 de UTI.

Dois anos e meio de muito perrengue, incertezas, perda de cabelos, engorda, emagrece, 102 semanas de quimioterapia, para superar. A linda festa de 15 anos, os sonhos renascendo, deu-se curada em dezembro de 2012, a doença foi debelada, teve alta e espera para quando completasse 5 anos, a cura total.

Entretanto, em 25 de janeiro de 2015 (O Resto é Silêncio), no último ano do segundo grau, a nova leucemia, seis meses e 4 induções (zerar a medula), Letícia se habilitou a começar as 102 semanas de tratamento de poliquimioterapica.

Nesse mesmo ano,2015, com todos os percalços, longe da escola, no fim do ano, a grande Vitória de entrar em odontologia na USP, uma nova esperança, mesmo sob rigoroso tratamento, Letícia jamais perdia aulas, saía da quimioterapia, ia para USP como se nada tivesse acontecido.

A exemplar luta, sua perseverança, fez vencer o segundo tratamento em agosto de 2017. Tudo parecia um sonho, ela muito feliz e realizada, plena, poderosa, senhora de si.

Em 2018, mais conquistas, o congresso do CIOSP, que ela ficou trabalhando num quiosque de um marca dental japonesa, os contatos, as vendas, estava nas nuvens. Depois conheceu o Vini, seu grande companheiro de todas as horas, a renovação de sonhos, agora compartilhados tudo ia bem demais. Uma recompensa por todo o sofrimento passado.

Mas a vida não deu trégua, em novembro de 2018, o funesto desfecho, como descrevi no Diário de Redenção. E assim, seguimos, nem sei como, procurando todos os dias alguma razão para viver e manter sanidade, o que não é fácil, mas teimamos.

Sigamos!!!

 Save as PDF

Deixe uma resposta

Related Post

1716: 23 Meses1716: 23 Meses

Share this on WhatsAppOs meses foram sendo vencidos rapidamente para todos que nos cercam, contraditoriamente, sinto uma certa lentidão da vida que teima não passar, como se fosse para açoitar