Livros nos dão uma dimensão maior do que é a vida.

Livros nos dão uma dimensão maior do que é a vida.

“Adeus, ó livros, da sapiência fontes!
Adeus, ó grande livro do Universo!” (Paraíso Perdido – John Milton)

Duas semanas de violentas pancadas políticas, daquelas que reduzem suas “ilusões a pó”, que me tiraram do prumo. Felizmente a literatura cura nossos males, aí comecei a ler Hereges, de Leonardo Padura, aquele mesmo cara que quase acabou comigo no seu “O homem que amava os cachorros”. Calma, não gosto de sofrer, ou de dor, mas amo ler coisas belas, ainda que me machuque a alma.

Aliás, ler um livro é a possibilidade real de viver outras vidas, de se vestir como os personagens, sentir suas dores, amar seus amores, gozar os seus prazeres e ser mais do que você é, pois se sensibiliza com o outro. A mim é impossível ler e não passar a figurar naquele mundo, mergulhar de cabeça na aventura ou desventuras de cada narrativa.

A leitura, para mim, jamais é neutra, ou você se incorpora à paisagem ou não vive completamente a viagem, também se compreende a verdadeira dimensão do que foi escrito. O envolvimento é, em primeiro lugar, emocional, daí não importa se você se identificará com Heitor ou Aquiles, Júlio César ou Marco Antônio. Também não há o que se falar de sentir paixão pelo terrível Ricardo III, Macbeth ou por Iago, o que conta é sentir-se parte.

 A literatura joga luzes nas trevas, esquenta o corpo, purifica a alma, ainda que se sinta a dor, sempre se sairá melhor e diferente, depois de ler. As letras têm o poder de nos fazer melhores (aceitemos ou não), daí o seu perigo e a razão de ditadores e déspotas quererem proibir os livros, em todas épocas. De grandes poderes absolutos até um juizinho de republiqueta atentar contra as letras, pois elas movem e despertam as consciências, mesmo nas trevas.

Em meus momentos mais escuros, ao abrir um livro, o seu cheiro já desperta uma sensação de vida e renascimento. Aqui luto com as palavras, com a (falta de) técnica, para expressar meu amor e agradecimento aos meus mestres, professores, amigos, desconhecidos que me apresentaram a esse mundo mágico, que me salva de todas as pragas.

Obrigado.