Livros Digitais prescindem dos Clássicos?

eBook-Studie-745x559-0b70a2221309fc82

Toda vez que vou a uma livraria e vejo uma tradução da Ilíada, fico tentado a comprar, não foi diferente neste fim de semana, quando fui à livraria Cultura. Vi duas traduções de Frederico Lourenço. A edição me pareceu tão bem cuidada, visual bem caprichado. O que é melhor é que a tradução é direta do grego, sem “traduzir” os deuses para forma latina, o que, para mim, é como se fosse outra história. Parece secundário, mas o detalhe é essencial, a poesia usando a nomenclatura latina empobrece o poema.

Resisti e não comprei. O preço era bacana, na versão popular da Editora Peguin, mas pensei em adquirir no formato digital, ou a tradução de Haroldo de Campos. Depois de muito buscar encontrei para venda em e-book a tradução de Frederico Lourenço, com pequena diferença de preço da edição impressa. Quanto à tradução do Haroldo, não encontrei em formato digital, uma pena.

 

As boas traduções dos clássicos não são vendidas no formato digital, o que é um perigo para eternidade destas obras. É possível achar gratuitamente os clássicos, em geral em PDF, mal cuidados, que não animam sua leitura, o que é lastimável, pois a nova geração pode simplesmente não ter acesso aos maiores patrimônios da humanidade, a literatura, em particular os livros fundamentais do pensamento e filosofia, que moldaram o homem ocidental. A tarefa não parece fácil, as editoras se interessam pelos “best sellers”, relegando a segundo plano estas joias.

Como pensar uma nova geração sem que ela conheça os maiores livros da humanidade? O formato livro não irá desaparecer, é fato, mas há um novo contexto dos e-books que vai se tornarem concreto e sem garantir que estes livros estejam disponíveis com edições bem caprichadas e adequadas a cada formato (Kindle, Kobo, Tablet etc) como eles se tornarão atrativos para esta geração “digital”? Tive grande dificuldade em achar a Ilíada, imagino que outros grandes livros estejam na mesma situação.

 

Será que há alguma preocupação no mercado editorial? E no governo, o que estão pensando? O que, nós leitores, efetivamente podemos fazer?

2 thoughts on “Livros Digitais prescindem dos Clássicos?”

  1. Talvez não tenha agora, mas daqui a algum tempo tenha em edição digital também. Essa nova edição e tradução é lançamento recente ou está por aí faz tempo? Se a edição do livro de papel saiu do forno agora, a versão digital pode estar a caminho.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: