Balanço – a transição de Telecomunicações para o Direito


As reflexões sobre esses cinco intensos anos.

Lá do alto, entre as nuvens, em meio à escuridão, a mente permanece inquieta, muitas reflexões, a vida ainda incerta depois de cinco da grande virada para o Direito, sem entender se foi correto ou não. Era necessário, o que poderia fazer? Continuar em Telecomunicações, tentar emprego, alguma chance, afinal ajudara mais de 40 amigos em recolocações, será que alguém jogaria uma boia para mim? Talvez sim, talvez não…

A questão não era de dúvida sobre a continuidade na área, mas a oportunidade de um recomeço, quase ou praticamente do Zero. Combinado com a situação crítica do Brasil, da economia e das mudanças na advocacia, na concorrência desenfreada e vir mais do nada.  Ainda no caminho de casa, ao ser demitido pela Claro-Embratel, a cabeça estava a mil e a inda para a advocacia era a melhor possibilidade, inclusive para saber se tinha valido fazer o curso e imediatamente ser aprovado na OAB, 9 anos antes.

A grande preocupação era o tratamento grave da Letícia, que estava no ciclo final da recidiva de leucemia, faltando quatro meses para alta das quimioterapias, sem nenhuma certeza de que poderia voltar (como voltou, 1 ano e 7 meses depois, levando-a). Ali precisava ao menos o plano de saúde, para não interromper o delicado e caro tratamento.

Todas essas coisas rodava minha cabeça e precisava pesar, a indenização recebida não duraria tanto, era ir ao combate, em qualquer ramo escolhido, em Telecomunicações ou no Direito. A escolha não era óbvia, mas necessária, uma oportunidade de recomeçar tudo. Frio na barriga e receios, não é fácil, não foi fácil.

Um dia volto ao tema.

 Save as PDF

One thought on “Balanço – a transição de Telecomunicações para o Direito”

  1. Tive a honra de trabalhar com você. Você era referência em telecomunicações. Na Nec, na Vivo, na Ericsson, na Embratel. Já ouvi colegas se referindo a você como um gênio. Não tenho dúvidas que você está se tornando um referência, também, no meio jurídico. Grande abraço meu amigo

Deixe uma resposta

Related Post

Das RepetiçõesDas Repetições

Share this on WhatsApp “Curei nos homens a preocupação da morte. (…) Alojei neles as cegas esperanças” (Prometeu Acorrentado – Ésquilo) No fundo apenas nos repetimos e repetimos os nossos

%d blogueiros gostam disto: