Catarina: O milagre da vida


Catarina e a esperança de famílias centenárias, nosso futuro e nosso amor.

Dia 26 de dezembro de 2020, minha sobrinha entrou em trabalho de parto, com seis meses, e veio ao mundo pequena Catarina com 875g.

Aquele sopro de vida e todas as incertezas e preocupações dos três meses que viriam, no meio de uma Pandemia, isolamento, riscos, além dos desafios da própria sobrevivência de prematura. Na minha cabeça veio a lembrança de Gleyciane Nobre, a quem pus no colo aos 6 dias de vida, agora, quase 32 anos depois, uma nova vida estava em suas mãos, a primeira filha.

Foram 76 dias de luta e crescimento dia a dia, gota à gota na incubadora, os pais, Gleyciane e Marcus, indo de manhã e de tarde para lamber a cria, olhar e amar, mais e mais, aquele ser tão pequeno e tão cheia de vida.

A última semana fora a mais difícil, com novo lockdown, as visitas foram reduzidas e aumento da dor da separação dos pais, visitas de apenas 15 minutos a cada 24 horas era muito dolorido, e o teórico nonagésimo dia tão distante.

A esperança veio ontem, 11 de março, com a possibilidade de que hoje se antecipasse a ida para casa.

Catarina, o amor da bisavô Fátima Rocha, o amor dos avós, Pedro e Jaqueline,  o amor do tios-avôs, dos primos, hoje saiu da clínica, a emoção coletiva e a certeza que a nossa pequena Catarina, a mistura boa de Rocha, Nobre e Tabosa terão nela nosso futuro.

A vida visitou nossa casa novamente depois da partida do velho Pedro Rocha, do querido cunhado, José Francisco e da minha Letícia Rocha.

Uma pena não poder repetir a cena de ter Catarina no colo, como tive a pequena Gleyciane nos braços.

Obrigado, Catarina, nosso amor renovado e cuidado para sempre.

 Save as PDF

Deixe uma resposta

Related Post

AlienaçãoAlienação

Share this on WhatsApp“Is this the real life? Is this just fantasy? Caught in a landslide No escape from reality Open your eyes Look up to the skies and see

%d blogueiros gostam disto: