Sexo – A Pornografia dos Hipócritas no P(h)oder

A Pornografia no poder, vestida de hipocrisia

“Mas, assim como a virtude não se deixa corromper,
Ainda que a luxúria a corteje em forma de anjo,
Também a lascívia, mesmo ligada a um anjo refulgente,
Continua devassa nos lençóis celestes” (Hamlet – Shakespeare),

A pauta moralista, a mais canhestra, venceu as eleições presidenciais e a maiorias das eleições regionais, fez a maioria na Câmara e no Senado. Calcada em aberrações tão estapafúrdias, que seria impossível conceber que alguém acreditasse em coisas como “Kit Gay” ou “Mamadeira de Piroca”, incrível, mas isso se tornou uma verdade e levou ao planalto as trevas medievais.

Figuras exóticas que vivem na idade média, como a Pastora Damares, ministra da família e Direitos Humanos ou o colombiano Veléz que virou ministro da educação, controlam o aparelho ideológico do governo. É preciso lembrar que essa virada nos costumes vem se propagando há mais de uma década e ganhou impulso com as jornadas de junho de 2013, que destampou tudo, a caixa de Pandora aberta ali, permitiu o avanço avassalador rumo ao passado.

Escrevi dois textos, um em outubro de 2015, outro em janeiro de 2017, sobre o reinado do hipócrita Eduardo Cunha, que virara evangélico, continuado por Rodrigo Maia. Naquela legislatura foi apresentado um Projeto de Lei com proibição da Masturbação do Deputado evangélico, Marcelo Aguiar (DEM-SP), que sinteticamente queria proibir a troca de mensagens com conteúdo sexual, nudes, vídeos, para evitar “pornografia e a masturbação entres os jovens”.

Dizia que “Ando tão desconfiado de tudo ultimamente, particularmente das pessoas que não têm pecados, pois assim me pergunto: O que fazem elas nas horas vagas (propícias ao pecado)? Essa dúvida me assalta ao ver um bando de demagogos, comandados por um fanático, pretensamente religioso, criar novos interditos morais, como se fosse restaurar qualquer fé perdida no mundo “moderno”.

Essa excrecência pudica que abala o congresso, que se reflete na sociedade, hoje se revela no todo com o tal “Estatuto da Família”, ou no projeto que dificulta e criminaliza ainda mais o aborto, inclusive aquele fruto da prática da violência sexual e estupro. O que me parece é que, no fundo, é o velho pecador querendo esconder seus “Pecados“.

Ainda disse mais que: “Uma coalizão de oportunistas políticos que se somou aos fanáticos religiosos, em especial os pentecostais, numa reprodução canhestra da Direita Religiosa dos EUA, em terras locais, hoje dominam o parlamente. Os versos de liberdade do poeta, parecem esquecidos, afinal “Não existe pecado do lado de baixo do Equador”, mas um novo moralismo quer se impor, aproveitando-se das condições políticas e do momento conturbado da conjuntura local.

A repressão sexual recairá sobre as mulheres, sempre elas, desde a primeira Eva, a punição é que elas não poderão JAMAIS pensar em ter sexo ou prazer. Mas também afetará aos “machos predadores” (lembram do Deputado Religioso?), que terão que conter sua compulsão sexual, pois tudo, não será mais permitido. A moral e os bons costumes, aparentes, virarão símbolo da hipocrisia institucional. Adeus, desejos mundanos.

Vamos instituir que é proibido Sexo, dentro ou fora do casamento, exceto os feitos com fins à procriação, nem que para isso seja necessário uso da força pelo Estado, aqui uma doce ironia, os mesmos falastrões que são contra o Estado, exigem sua Força repressiva). Até quando essa repressão se sustentará numa época tão distinta da idade média?

Assim, ficamos nós, reféns dessa gente sem luz, contando os nossos pecados, enxergando desvios “marxistas”, “comunistas”, numa prova de ENEM, que traz o “feminismo pecador para corromper nossa juventude”. O fruto dessa paranoia nos levará ao gueto, em tão breve tempo, se não houver uma reação civilizatória urgente”.

Infelizmente não deu tempo, eles desceram com o caminhão ladeira abaixo. O projeto do deputado contra a masturbação se inseria naquela lógica burra de reprimir, proibir, domar até as forças mais poderosas da humanidade, seus desejos e suas fantasias, tão naturais, quanto biológicas.

Fiscais de costumes, repressores machistas, homofóbicos, moralistas canalhas, de tão ridículos não será surpresa se em breve não vão decretar o fim da lei da gravidade, Newton não perde por esperar. Por enquanto eles desqualificam Galileu, insistindo que a Terra, é Plana, igual a TV Plana, por suposto. Com o poder nas mãos eles não estão prosa.

A Educação é atacada de forma violenta, especialmente os professores, transformados em criminosos, que desvirtuam as crianças e jovens, os absurdo de Damares e Veléz sinalizam para um país de imbecis, bocós, em plena século XXI, cercado de mediocridades, planejam transformar as escolas num local de perfeitos idiotas, como também liberando a obrigatoriedade do ensino, um crime lesa-pátria.

Enquanto esse setor brinca de acender fogueira, Guedes e seus especuladores garantem a escravidão moderna, sem direitos sociais, trabalhistas, férias, 13º, aposentadoria. Assim, em torno do Mito, reúne-se os dois vetores, um que ataca as crianças e outro que destrói o futuro, entrega tudo ao Kapital estrangeiro, sem nenhum pudor, com migalhas aos rentistas locais.

O Brasil encontrou seu caminho, voltamos ao passado, de forma tão natural, quanto trágica.

 

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

"Governar é muito diferente de tuitar"

ter fev 12 , 2019
Share this on WhatsApp “vês ali, amigo Sancho Pança, onde se descobrem trinta ou mais desaforados gigantes, com quem penso fazer batalha, e tirar-lhes a todos as vidas, e com cujos despojos começaremos a enriquecer; que esta é boa guerra, e bom serviço faz a Deus quem tira tão má raça da […]
%d blogueiros gostam disto: