Sede do PT atacada em São Paulo, reflexo do ódio vigente ao partido.

Sede do PT atacada em São Paulo, reflexo do ódio vigente ao partido.

Projeção, o PT é a projeção daquilo que somos, mas não aceitamos ser? A raiz é psicológica e vai muito além da questão política ou ideológica (sobre esses temas: A Queda da Direção de Esquerda.). A derrocada dele, inclusive, tem mais a ver com uma campanha emocional, nada racional, bem engendrada nos últimos três anos, do que os outros fatores.

Incrível, mas o ódio ao PT supera qualquer indício de inteligência, urbanidade e sensibilidade. É o ódio primitivo, sem lógica ou explicação minimamente coerente. É o ódio pelo ódio, assim raso, xucro, melancólico e cruel. Baixos instintos, primitivos, que se sobrepõem à lógica/razão. Nem adianta grande formação acadêmica, viagens, cultura, pois voltamos às cavernas, nossa mãe.

Pessoas que até tenho apreço, mas descambam a destilar ódio ao PT ou a qualquer coisa que lembre esquerda. Como deve ser triste suas vidas? No fundo é um ódio de CLASSE, que se teima em negar, pois não se admite que exista classe ou luta. Mas as palavras traem a razão.

Perguntamos se muitos projetam no PT aquilo que realmente são em si, na solidão do seu espelho? Olham para si, criam uma fantasia para esconder suas almas atormentadas? Pois, por coincidência macabra, freudiana, aqueles que gritam com mais ódio e fúria contra o PT, quando expostos à luz, são piores, vide os indignados que agrediram figuras públicas em restaurantes ou nas redes sociais, agora, presos por..CORRUPÇÃO.

Seria o PT o biombo para nossas mazelas éticas e morais? Atacá-lo é um modo de nos defender de nós mesmos?

Óbvio que o PT cometeu erros terríveis ao longo de sua longa trajetória, aos montes: Desvios éticos, crimes eleitorais, caixa dois, alianças reprováveis em nome de vitórias eleitorais ou para governabilidade acima de qualquer coisa, vacilações em enfrentar a grande mídia ou ao grande kapital. Rebaixamento de seu programa e tantos outros.

Além de ter sido responsável por um discurso moralista, de pureza ética, nos seus primórdios, e hoje é cobrado, em especial, por aquele que JAMAIS lhe deram votos, mas, por mais louco que possa parecer, se dizem “traídos” porque o PT não fez aquilo que pregava.

Mas daí a despertar esses ódios desmedidos, não é simples de entender. Ou teria mais alguma coisa, nessa histeria coletiva recente?

Condenam ainda o PT, porque ele cumpriu um programa pragmático, sem ruptura, que eles nunca cumpriram, tarefas democrática, nada muito revolucionário, bolivariano, esquerdista, nada mesmo, ou alguém acha que distribuir renda (reajuste de salário-mínimo acima da inflação), terra (bem pouco), microcrédito, construir escolas técnicas, universidades, tudo isso seja algo contra o capitalismo?

Será que o PT não lhes deu a chance de redimir de seus pecados? De suas prisões e estreitos caminhos éticos? Como aceitar que uma constelação de políticos e de partidos tão vinculados à corrupção por décadas aparecer como os “campeões da ética” e são comemorados entusiasticamente? Alguns desses são extremistas religiosos e políticos, homofóbicos, misóginos.

Ainda me resta uma grande dúvida de como melhor caracterizar esse ódio ao PT, seria por: 1) limitação intelectual, ou; 2) bloqueio psicológico. Porque normal não é, certo?

Procuro não guardar ódios ou rancores, mas não esqueço nomes ou atitudes, apenas para que me lembre de não agir igual para com eles, como agem atualmente conosco.

Será que essa onda de loucura vai passar?