O Espírito de uma Copa do Mundo

O choro emocionado de Serey Die nos redime como humanos. ( foto Reuters)
O choro emocionado de Serey Die nos redime como humanos. ( foto Reuters)

Lembro-me de um livro do Frei Bartolomé de Las Casas, O Paraíso Destruído, em que denuncia a violenta conquista da América pelos espanhóis, mas o que mais me marcou nesta leitura foi quando ele fala que a maior destruição não foi apenas ceifando as vidas, cerca de 80 milhões de mortos, mas quebrando a sua alegria e as crenças daqueles povos, convertendo-os e principalmente dando nomes “cristãos” aos mesmos, trocando os sentidos e marcas de suas histórias, que se traduz em cada nome, identidade de nação e grupo étnico.

Esta lembrança me veio justamente quando a mídia começou a detonar uma campanha negativa contra a Copa do mundo a ser realizada no Brasil. A sórdida ação, era um ataque direto à nossa alma, na nossa maior marca de união, de um povo, o futebol. Corre em nossas veias este estranho esporte estrangeiro, mas que encontrou em nossos pés e cabeça toda a magia para fazer dele o maior e mais importante esporte no mundo. A contribuição do Brasil é incontestável, seus magníficos craques, artistas geniais, tendo em primeiro plano, sua majestade, Pelé.

O futebol penetrou de forma irresistível em todo território nacional e deu honra e dignidade a tantos craques, desde aqueles “anônimos” jogadores de nossos bairros, nossas “quebradas”, que tratam a bola com tanto carinho, mas que são cultuados como gênios pelos seus vizinhos,  até aqueles super famosos, também saídos dos recantos mais pobres aos estrelato mundial, quantos exemplos assim conhecemos? Nós paramos para ver uma simples pelada de rua, de uns dribles desconcertantes, imagina numa Copa do Mundo, aqui do nosso lado?

Durante meses este sonho nos foi roubado, esta alegria de viver, de sorrir com a arte mais genuína do brasileiro, dos milhares de técnicos e palpiteiros. Tudo foi jogado na vala comum, de que nós não fazemos nada que preste, que daríamos um vexame danado, seria motivo de chacota ao mundo porque não somos capazes de realizar nenhum evento tão grandioso. Quantas vezes ouvimos que não teríamos aeroportos, hotéis, estádios? A paulada final de Ronaldo, de que tinha “vergonha”, assim lido e jogado na cara de todos nós.

Demoramos demais a sair da escuridão. Dia antes da Copa, Dilma fez um pronunciamento e disse uma frase lapidar, de boleiro, “treino é treino, jogo é jogo, estamos prontos para fazer a Copa das Copas”. Ali, no meu sofá, tremi, até eu, o mais entusiasta do Brasil e da Copa, fiquei medroso, será que daremos conta? Estes 9 dias, estão sendo mágicos, lindos, emocionantes, não sei se choro mais de comoção ou alegria. A integração dos visitantes com nosso povo, compensamos tudo com nossa acolhida, nosso carinho e nossa alegria. A retribuição é maravilhosa, querem nos abraçar, bater fotos, puxar conversa e dizem sempre como estão satisfeito de estarem aqui.

As imagens dos hinos cantados a capela por todas as torcidas, emocionam até uma pedra. Ontem o jogador de Costa do Marfim, Serey Die, chorando copiosamente, sem dúvida, será uma marca desta Copa, depois, ele disse que se emocionou por servir ao seu país em uma Copa do Mundo, pois jamais pensou em chegar neste nível. Pouco depois, o uruguaio, Luis Suárez, também chorou, mal conseguia falar de como acabara de viver o sonho de jogar e fazer dois gols num jogo espetacular, que chutou pelos três milhões, do seu pequeno Uruguai.

É este o espírito da Copa, é um encontro de povos, de alegria, de superação, de reflexão sobre o mundo tão dividido, mas que pode ser feliz quando se reúne, quando vibra. Aqui, no Brasil, para a maioria deles, nada seria maior, mais perfeito, pois nos reconhecem como o país do futebol. Por que não gozar plenamente este momento?

#VaiBrasil

6 thoughts on “O Espírito de uma Copa do Mundo”

  1. Ah, que esse moço fica sempre me fazendo chorar… Ô Deus! graças te dou por este céu, este sol, esse povo maravilhoso e esse blogueiro magnífico que arrasta o coração da gente…

    abraços
    carmen

  2. Isso mesmo, vamos gozar muito este momento, o momento em que vov@s e netinh@s, vizinhos brigões, garçons e clentes têm um assunto rico para conversar e estreitar amizades! Além de melhorar as relações pessoais, vai ser também um marco político: o descolamento definitivo do povo brasileiro deste maldito partido da imprensa golpista.

  3. Copa das emoções, todos que vieram pra cá vieram sentir o Brasil. Simples assim.

    E apesar de todo desejo de caos das pessoas que querem ver essa Nação de joelhos, a Copa caminha, os visitantes estão alegres e o nosso Povo feliz!

    Até os coxinhas estão aproveitando, na maior cara de pau.

  4. Toca profundamente , uma alma para os trabalahadores em letras . O coroamento de tudo isso ? Desse sentimento de autoestima ? Dessas descobertas? Não só pra nos , mas pra diversos redutos de luta na América, Latina e no mundo ? No contexto do realizar é a pauta da reunião dos BRICS : criação de um banco de financiamento, e de um organismo comercial e financeiro independentes, redução de tarifas para exportações e importações em vários setores, essa a pauta principal, além de política externa afinada.Um FMI nosso, um Banco Mundial nosso, diferentes na essência, mais humanizado . Sair do dólar, esse é o terror norte-americano.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: