Jesuton – O Mundo é um Moinho

A bela voz da inglesa Jesuton, encantando o Brasil.
A bela voz da inglesa Jesuton, encantando o Brasil.

Por um acaso, hoje, estava mudando de canais quando ouvi uma voz linda, com um sotaque estranho cantando Cartola. O canal BIS tem um péssimo defeito, não ter legenda sobre quem estar a se apresentar, nenhum crédito, fica-se no ar, sem informação, uma vergonha. Fui procurar e não achei nada que indicasse de quem se tratava, até que achei no Youtube.

Achei a gravação de “O mundo é um Moinho”, uma das mais belas composições de Cartola, na voz da inglesa, Jesuton, ou Rachel Jesuton Olaolu Amosu, 28 anos, nascida em Londres, mas erradicado no Rio de Janeiro desde 2012, só aí entendi o sotaque, um português aprendido provavelmente em Portugal, o que deu mais charme aos versos cariocas.

Num perfil de Jesuton, no Site Ri ( http://www.todorio.com/) lemos que ela é “Filha de mãe jamaicana e pai nigeriano, Jesuton sempre teve dois interesses marcantes: a curiosidade pela cultura latina e a paixão pela música. Movida pelos dois aprofundou-se nos estudos da América Latina durante sua formação em Ciências Humanas, na renomada Oxford University, na Inglaterra. Em relação à segunda, não acreditava que poderia encontrar em uma fonte de tanto prazer, uma maneira de viver.

Sua relação com a música – intuitiva e, até mesmo, muito pessoal, mudou quando foi trabalhar em Cuzco, no Peru, em 2007. Lá, pela primeira vez, começou a se apresentar para os amigos e pôde então perceber que sua forma de cantar era especial, e emocionava quem a ouvia. Saiu do Peru e, depois de viajar por vários países, Jesuton decidiu se mudar para o Brasil, em 2012.”

Com vocês, para abrir, bem, nossa semana, neste feriado, a voz e o som de Jesuton, duas belas músicas, um clássico da MPB, de Cartola, e outra de Damien Rice, tema do filme Closer.

Tocantes.

Jesuton – O mundo é Um Moinho

Imagem de Amostra do You Tube

Jesuton – The Blower’s Daughter

Imagem de Amostra do You Tube

One thought on “Jesuton – O Mundo é um Moinho”

  1. Até onde vi, Luciano Hulk (ou sua produção) a achou cantando nas ruas do Rio de Janeiro. A partir daí ele a apadrinhou, lançando-a em seu programa, onde se apresentou várias vezes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: