A Volta do Teia Livre?

Biruel e Lufeba ao fundo, dois personagens do Teia Livre
Biruel e Lufeba ao fundo, dois personagens do Teia Livre

No final do ano de 2013, por uma boa coincidência da vida encontrei o Marco Biruel, em São José dos Campos, um longo papo sobre política e sobre a vida e acabamos entrando num papo acerca do Teia Livre, um portal espetacular que surgiu no final do segundo turno das eleições presidenciais de 2010. Biruel foi um dos maiores entusiastas do Teia e conseguiu juntar uma equipe de colaboradores abnegados.

A ideia do Teia era mais do que original, pois juntava a experiência de pequenos blogs e blogueiros para que juntos formássemos um portal que daria mais visibilidade e divulgação aos trabalhos destes blogs. O corte de esquerda, realmente alternativo, atraindo um público afinado com as ideias de mudanças que ganhou corpo nos últimos 10 anos, que se consubstanciou nos governo Lula e Dilma. Um espaço amplo de debate, de polêmicas e coletivo, que unia camaradagem, bons encontros e muita elaboração política.

A estrutura era mantida por um conselho editorial que se reunia via chats e discutia os temas e pautas que davam a cara ao Teia, tentava amarrar as ideias e dar uma coerência geral, pois as várias origens militantes e políticas nem sempre se consegue um denominador comum. Era duro o fechamento de pauta, as capas e o sequenciamento de matérias, além da regularidade de artigos e os temas que deveriam constar dia a dia o portal. Era uma experiência incrível com os atropelos normais de uma organização “livre”, sem a mínima centralidade.

Os famosos “Botecos” do Teia, com um tema para exposição livre e debate coletivo que trazia uma militância que ia  muito além dos blogs e blogueiros, juntava pessoas que colaborava de toda forma para o sucesso da experiência, participando dos debates, fazendo belos depoimentos, contando suas trajetórias e enriquecendo os temas que eram pautados. Foram meses intensos e vivos, em que conseguiu se reunir tanta gente interessante em busca de algo, naquela época, abstrato.

O Teia Livre nunca “morreu”, apenas deixou de “circular”, neste momento acredito mais ainda que possa ressurgir, com mais maturidade e uma visão mais clara dos rumos tomado pela blogsfera de esquerda. Retomar a ideia num ano significativo, com Copa do Mundo, já imaginaram os “Botecos Redondo” sobre os jogos? E o que dizer das eleições Presidenciais? Quantos debates interessantes podemos fazer.

Este post é um convite para reconstrução do Teia Livre, vamos chamar o pessoal de novo?

7 thoughts on “A Volta do Teia Livre?”

  1. Tô nessa. Tenho participado dos encontros blogosféricos, pelo menos três, dentre eles o Mundial de Foz. Acho que posso colaborar direto de Juazeiro do Norte/CE o Juazeiro do meu “padim pade Ciço”!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: