À Benedita, minha Irmã

 

Minha querida irmã

 

Sábado a noite fui levar minha irmã ao aeroporto, depois de dois dias aqui conosco, a imensa felicidade que nos traz toda vez que ela nos visita, os anos passando e cada vez nos aproximamos mais. Por sermos apenas um ano de diferença, sempre estivemos mais fortemente ligados, desde cedo. Os primeiros Pedro e Hermínia, têm a idade um pouco acima de nós, o elo entre nós dois e eles, foi nosso irmão que não conhecemos, morreu muito novo, tinha meu nome. Então este breve hiato, separou nossas gerações, assim como da nossa última irmã, a caçula, que veio três anos depois de mim.

 

Ainda na escola, Benedita estava uma séria acima da minha, extremamente inteligente, dedicada, desde muito cedo, era uma referência para todos nós. Mas um fato nos uniu para sempre. Quando resolvi ir fazer curso técnico, fui primeiro, minha irmã já no segundo grau clássico, entrou depois de mim na Escola Técnica Federal, passei a ser veterano dela, no mesmo curso: Telecomunicações. Pouco depois, ela passou para Engenharia Elétrica, na Universidade Federal, seguiu fazendo os dois cursos simultaneamente, uma loucura, mas ela deu conta de concluir os dois. Quando terminei o técnico, vim embora para São Paulo, 1989. Ela terminou o técnico, e logo no ano seguinte, terminou Engenharia e passou no concurso para ser professora da Escola Técnica Federal.

 

Em pouco mais de um ano, ex-aluna, virou a jovem professora Benedita, um desafio pesado, que ela sempre com muito amor e dedicação honra a profissão de nossa mãe, aliás de todas as mulheres da casa. Hermínia, ensina no Estado e município de Fortaleza e a Luciete no município de Maracanau. Acho que está no sangue da casa, contaminada de nossa mãe, uma professora, diretora de escola, que a chamávamos de “Caxias”, pela imensa dedicação e amor pela escola pública, jamais fraquejava, exigente, pontual, incapaz de abandonar seus alunos, um exemplo para todos nós, muitas vezes eu frequentava tanto escola particular, como a escola que minha mãe era diretora, em geral devorando livros na livraria.

 

A professora Bené, como é conhecida, construiu uma sólida carreira no magistério, ensinado Sistemas Digitais, também consolidou carreira acadêmica com mestrado e agora o Doutorado(O Doutoramento de minha Irmã). Esta semana, fomos novamente a Rio Claro, na Unesp, para entrega da Tese de Doutoramento, com as devidas correções, agora o título, já conquistado, se transforma em diploma. Fizemos uma linda viagem, nós dois, nossas vidas mais uma vez ali conversada, as ideias alinhadas, os sonhos, nossos pais e irmãos, nossos filhos. Dois dias maravilhosos, que parece que nunca deixamos de conviver qualquer dia.

 

Agora, 23 anos depois que vim embora, sinto como se ela e eu, fossemos mais do que próximos, mais que irmãos( manos não sinta ciumes),mas é fato, há algo muito forte entre nós, identidade construída, até pela opção de estudos, são ideais de política, carinho, nosso filhos são de idades parecidas, nos frequentamos muito, as viagens deles aqui em São Paulo, o acompanhamento neste período de tratamento da Letícia, apenas amalgamou tudo que já sentíamos, nossas grande amizade e admiração mútua. Até nossos cônjuges, nasceram na mesma data, pode tanta coincidência?

 

Ali no aeroporto ainda tivemos uma hora para conversas, compartilhar mais ideias, depois a dura volta para casa, o carro avançando na noite, os olhos marejados, a saudade apertando, mas tudo bem, em menos de um mês ela estará aqui, com todos os irmãos, nossos pais, sobrinhos, para juntos celebrarmos nossa Lelê, mais uma vez vamos construir nossa história.

0 thoughts on “À Benedita, minha Irmã”

  1. Meus queridos e admiráveis irmãos!é público e notório o amor que os une,o verdadeiro amor,que não cobra,nem questiona,só explica e justifica.da minha parte não tem ciumes,só admiração,acredito sinceramente que estas relações sólidas e puras são como o vinho!com o tempo chegam a perfeição!arnóbio costumo dizer que longe é um lugar que não existe,quando se tem amor no coração!a distancia geografica fica aqui demonstrada ser insignificante.parabéns pela coragem de declarar o amor com tanto saber.

  2. Algumas correções ‘Nobinho’, agora e Profa. Dra. Bene (ela vai ficar com ódio :).

    Deixa de ser babão rapaz…. :) Parabens aos dois e um grande abraço.

  3. Nobinho,
    Suas palavras me emocionaram muito! E. alem de escrever para elogiar suas belas e inspiradas palavras, quero deixar registrado que sou testemunha desse amor mutuo e sincero.
    Que se fortifique ainda mais e sempre!
    Abraco forte para voce, Mara, Lele e Luana..

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: