Saudades de meu amigo Lufeba.


Meu irmão e amado amigo, quanta saudade.

Meu querido amigo Lufeba nos deixou em setembro do ano passado (2021), e é um vazio imenso, o Twitter perdeu a graça sem ele, suas provocações, a forma com que levávamos as brincadeiras do futebol, ele, um ex-botafoguense que, segundo ele, cansou do chororô das derrotas e passou a torcer pelo Flamengo.

Eu chamava o Lufeba de “tio lokão do Pinel” “mulambento”, dizia que ele roubava a senha do wifi nos dias de jogos para provocar os nossos amigos, principalmente os botafoguenses, vascaínos e tricolores, sobrava para mim também, corinthiano, que ele devolvia e me chamava de “Napoleão do Juquery”. A resposta sempre mordaz e cheia de graça.

Foram onze anos de uma convivência de redes sociais, twitter, facebook, whatsapp e todos os espaços que dava para nos falar, de política, de revolução e sonhos. Alguns desses encontros se deram em São Paulo ou no Rio de Janeiro, uma forte ligação, nosso amor mútuo que alimentamos pelos nosso filhos, os deles e as minhas, que ele tratava como sobrinhas.

Lufeba era de um coração único, sujeito que se torna amigo para toda vida, com carinho, preocupação, foi o único carioca que disse “passa lá em casa” e deu o endereço (risos). Ponta firme, leal, companheiro e solidário, alguém que jamais vou esquecer, seus gestos de acolhimento, nos piores momentos pelos quais passei, ele esteve ali, conversando, abraçando e tirando um sorriso.

Por anos publiquei a resenha da sexta, nesse horário, “a música da sexta”, que logo pela manhã, ele me cutucava para que não esquecesse da publicação, nem que fossem umas 3 linhas, mas não poderia esquecer de postar, que ele fazia questão de retuitar.

Esse filme (Uma Canção para Marion) e essa música me lembram demais do meu amigo tão querido. Quanta saudade e falta.

 Save as PDF

Deixe uma resposta

Related Post

ReverênciaReverência

Share this on WhatsAppPor uma coincidência temporal, viver no mesmo espaço ou eventualmente encontrar, por absoluto acaso com grandes figuras de um época, é uma sorte única, para si, e

%d blogueiros gostam disto: