Flanar por Tóquio


Luana na Yamanoite line, perdidos em Tóquio.

O prazer de flanar, perdido em músicas que me levam para longe.

Um dia, há cinco anos, Luana e Eu, flanamos pelas ruas de Tóquio. Ela aos 15 anos, a primeira vez andando por aqueles lugares, maravilhada, nem lembrava do cansaço da viagem, em que saímos de São Paulo, fomos para Paris, um dia inteiro de andanças, a noite um voo de 12 horas, a chegada atribulada ao aeroporto de Haneda, com avião desviado para Nagoya, atraso de 6 horas, fome, frio e nenhuma assistência (imagina a classe média sofre, se fosse no Brasil).

Dia seguinte, com poucas horas de sono, apresentei cada lugar possível de Tóquio, primeiro pela região de Ueno, local do nosso hotel. Subimos pela Yamanote Line até Shinjuku, depois, a pé, andamos pelas ruas lindas até Shibuya, o inverno rigoroso com seus 2º graus, não ajudava na caminhada. O importante eram os olhos verdes da Luana brilhando. Do meu lando, relembrando os quase seis meses em que vive ali, em 1996. Andamos sem compromisso, exceto comprar as botas de frio dela.

Dali, circulamos até Akihabara, o paraíso de eletrônicos, dos painéis gigantes de led, os luminosos antigos que me encantaram duas décadas antes, todos renovados. A andança mostrava que entre as grandes mudanças que notei, era a quantidade de placas e anúncios em Eigô (inglês) e Chinês, pois eles, de inimigos mortais, viraram grande saída para combalida expansão japonesa, as lojas com placas e funcionários para atender nos três idiomas, bem diferente da minha época, quase não tinha alguém que falasse inglês.

No fim do dia frio, andamos desde Akihabara até Ueno, passando por lojas de roupas, uma gigante da Uniqlo e aquelas calças, agasalhos maravilhosos, espalhados por vários andares.

O ponto alto e inesquecível, desse primeiro dia, sem dúvida foi o jantar no Hard Rock Café Ueno Eki (Estação de trem). Aquela monstruosa estação, com comércio, cafés, lojas, tinha aquele restaurante. Luana descobriu e fomos lá. Agora ouvindo a música de Bebe Rexha – I’m Gonna Show You Crazy, parece que estou ali, na mesma mesa, olhando minha garotinha sorrindo, feliz, encantada e pudemos realizar o início de uma viagem de sonhos, 11 dias intensos.

Lembrei do filme Encontros e Desencontros (Lost inTranslation), Tóquio é bem aquilo, voltei com minha pequena e flanamos juntos…

 Save as PDF

Deixe uma resposta

Related Post

%d blogueiros gostam disto: