Egolatria – A Maior Pandemia Humana

“Narciso” (1590), pintura de Caravaggio

“Uno é o mito, mas não por se referir a uma só pessoa, como creem alguns, pois há muitos acontecimentos e infinitamente vários, respeitantes a um só indivíduo, entre os quais não é possível estabelecer unidade alguma.” (Ética a Nicomaco – Aristóteles)

Bem antes da Pandemia um mau maior nos perseguia, a Egolatria.

O grande risco que corremos, desde a queda do muro de Berlim,  é de que nós não nos adaptemos a nada e nem a ninguém.

Parece que nada é digno de nós.

A facilidade que encontramos para justificar essa falta de empatia geral, é dizer que nada presta: Partidos, sindicatos, associações, empresas, clubes, confrarias, movimentos.

O que, por conseguinte, também ninguém é digno de nossa admiração: Artistas, intelectuais, jogadores, cientistas, professores, profissionais.

Por fim, as relações pessoais são cheias de senões, exigimos de todos que nos cercam algo que, na maioria das vezes não temos e muito menos oferecemos. O que inevitavelmente nos isola, mas apontamos para os outros a “culpa” desse isolamento, inconscientemente, desejado.

Somos tão pateticamente perfeitos, que não enxergamos os outros apenas nosso espelho, o que, desconfio, nem ele nos suporte.

Nesse sentido, as redes sociais, potencializam esse vazio individual (existencial), nosso ego é capaz de responder a tudo e a todos com maestria, com superioridade e autoridade impressionante. Nada nos escapa, nada mesmo há respostas para qualquer coisa, não há dúvidas ou reflexões, estamos prontos para vomitar a “verdade e a vida”.

O que, talvez, explique o comportamento fascista e autoritário generalizado. Sozinhos sabemos tudo e impomos nossas verdades, sem precisar provar ou mediar com a vida, é isso e estamos conversado, não curtiu, não deu like? Cancelamos, você.

Essas questões são minhas indagações diárias, especialmente no momento de tantas rupturas, individuais e/ou coletivas.

A Egolatria atingiu a todas e todos, bem antes da Pandemia, aliás, esta, pode nos permitir certo tempo para pensar sobre o que somos e o que temos feito a nós mesmos e àqueles que nos circundam.

Conseguiremos?

#Somostodosnósmesmos!

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

A Tragédia dos 100.000 Mortos e "Vamos Tocar a Vida".

sex ago 7 , 2020
Share this on WhatsApp “Vamos tocar a vida” (Jair BolsoNERO, o #Genocida) Na verdade deveria ser, “vamos tocar a morte” (para debaixo do tapete), pois a vida tá difícil, apenas o auxílio Emergencial, criado e aprovado pela oposição, sustenta esse governo genocida, com 45% de aprovação. Entre piadas e largos […]
%d blogueiros gostam disto: