O Rocambolesco Combate Ao “Comunismo do PT” pela Mídia Tapuia.

Quem faz a “cabeça” do Brasileiro Médio?
“Eu não preciso ler jornais
Mentir sozinho eu sou capaz”
(Cowboy fora da lei – Raul Seixas)

A consciência política no Brasil é algo muito surreal, não, nem precisa entrar no mérito dessa grandiosa eleição, cuja vedete foi o whatsapp e suas fake news, as mentiras mais cabeludas já imaginadas, viraram verdades cristalinas.

É preciso voltar um pouco, para encaixar essa questão da consciência e entender a realidade atual.

A queda do muro de Berlim completou 29 anos esse mês, mas a nossa velhinha (a grande mídia) do filme “Adeus, Lênin”, continua em plena guerra fria.

O jornalismo brasileiro é carente (ou seria cretino mesmo?) da guerra fria, pois sempre cultuou o medo do “comunismo” como uma de suas vigas mestra. Ainda que o Leste tenha caído, a China abraçado a Economia de mercado, a Rússia totalmente capitalista, Putin, causa furor Vermelho, assusta como se fosse um Bolchevique, quase um Trotsky ou Lênin.

Essa distorção, que se seguiu nos anos 90 e começo do século XXI, teve seu apogeu no renhido combate midiático ao PT, um partido de esquerda, com base na classe trabalhadora, mas de consciência das classes médias urbanas, totalmente adaptado ao sistema, viciado nos processos eleitorais, ainda assim tratado como Revolucionário, pronto para tomada do Palácio Smolny.

Por mais caricata que pareça, essa onda neofascista, teve na grande mídia o seu alimento ideológico fundamental: O ódio e a criminalização do inimigo vermelho, do eixo do mal, nacional, daqueles que iam dividir os apartamentos da classe média, tomar as fábricas, as terras, ainda que nunca tenham sido parte dos programas dos governos petistas.

As consequências dessa realidade virtual forjada, desse mundo paralelo, fez com que toda sorte (ou azar) de mentiras, até de gracejos, virassem “verdades”. O filho do Lula dono do mundo, os bilhões de Lula, a terra plana, o papa comunista, a “ditabranda”, a Dilma guerrilheira e sua ficha falsa, o kit gay, entre tantos disparates, repetidos e sem que a simples verdade fosse dita, fazia parte do “jogo” do antipetismo desvairado.

O resultado é esse mesmo, um governo protofascista eleito prometendo combater o quê? O “comunismo”, aquele da professora de história lá do interior do Ceará, que diz que os negros foram trazidos como escravos da África e não que pegaram carona nas naus portuguesas, inglesas, francesas, que passavam pelo litoral da África, ela será atacada como herege.

As trevas acontecem quando se apagam as luzes, quando aceder uma luz, a inteligência, pode significar o medo da liberdade e do questionamento sobre o mundo.

A saída da mídia será bajular o “vencedor”, vide o slogan do SBT, revivido da Ditadura (ah, não houve) do “Brasil: Ame-o ou Deixe-o”.. A mídia vai abraçar as fake news que ela mesma ajudou a propalar, ou tentar retomar alguma credibilidade?

Agora, não será fácil, nesse mar de loucuras que o país mergulhou.

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

Diário de Redenção - Preâmbulo

seg nov 12 , 2018
Share this on WhatsApp “A vida humana não dura mais do que a contagem de um.” (Hamlet – W. Shakespeare) Reafirmo minha firme convicção de que só a Literatura (Poesia e Prosa) salva o homem de seu lado obscuro, animal e de suas mais profundas dores, mágoas, ódios e rancores. […]
%d blogueiros gostam disto: