FDP – A vida de Juiz de Futebol

 

 

Neste fim de semana consegui assistir todos os 13 episódios da série (fdp) da HBO, sobre juiz de futebol e, recomendo. É excelente, um padrão altíssimo de qualidade da TV, já demonstrado em outras séries especiais, tanto do Brasil, como Alice, quanto as dos outros países, por exemplo, Roma, que recriou com fidelidade e sofisticado humor a época dos primeiros imperadores romanos. Quem ainda não vi, se programe, pois ainda está no ar, mesmo que não curte futebol vai gostar muito.

Dividida em 13 episódios de 30 minutos cada um, a série FDP conta a trajetória do juiz de futebol Juarez Gomes da Silva, interpretado de forma magistral pelo ator Eucir de Souza. Juarez é um tipo raro de árbitro honesto, que chega ao auge da carreira na Federação Paulista de Futebol e recebe como prêmio apitar a libertadores. O seu auge é também o prenúncio de sua queda, a idade, 40 anos, a não profissionalização faz da carreira uma incerteza, recém separada de Manuela (Cynthia Falabella), Juarez tem que voltar a morar com a sua mãe, uma coroa enxuta que vive um tórrido romance com um argentino.

Juarez vive o drama da separação, o pouco dinheiro, as cobranças das torcidas e a gozação do seu amigo e auxiliar, o bandeirinha Carvalhosa (Paulo Tiefenthaler), um impagável brincalhão, que acaba vivendo com ele as mais doidas aventuras da carreira, dos jogos, dos perigos de suburnos e lógico da mulheres. A série é abrilhantada pela participação engraçadas de figuras do mundo do futebol como os jogadores Dentinho e Neymar (que interpreta um faz-tudo), o jornalista Juca Kfouri, que aparece como dono de banca de jornal e o craque Rivelino (na pele de um padre).

O roteiro de José Roberto Torero, um santista, que escreve sobre futebol em jornais de São Paulo, conhece muito o meio, fez uma longa pesquisa sobre o submundo das arbitragens, faz um brilhante trabalho, com informações bastante verossímeis e cheia de humor e tragédia. Eucir de Souza incorpora com perfeição o árbitro até na forma de correr em campo, ponto alto, sua vida desastrada que uma topada leva à outra, dão mais graça ao personagem. Até quando se dá bem com a bandeirinha boazuda Juarez se ferra, é uma sina, que a torcida que grita em coro FDP, não sabe quão azarado é o cara.

Os bastidores, as armações, o chefão da Federação, Campañera,tudo é muito próximo da realidade, até as visitas dele aos vestiários dos árbitros indicando o que deve acontecer nos jogos, que sempre termina com o bordão – oh Juarez, não caga! ou o outro quando acaba cada episódio, alguém aplica o indefectível: FDP.

Grande série, não percam. Assista ao primeiro episódio e confiram – olho no lance!!

FDP: Episodio 1 (Juiz x Juiz)

Imagem de Amostra do You Tube

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: