Jorge Ben Jor e Dener


Jorge e O Futebol

 

 

Dener e a Música

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Li um post lindo demais sobre o Dener, ex-jogador da Lusa,  no excelente blog do meu amigo Ricardo Queiroz  (KlaxonSBC  – Dener dos atalhos). Dener era um craque moleque, bem antes de Robinho, Neymar, cheio de ginga, magrelinho, pequeno, insinuante e tantas coisas mais. Um artista da bola, que rapidamente despontou para o futebol na Lusa, que já revelara Éneas, outro craque, que era mais cerebral, forte e habilidoso. Dener foi uma centelha, um cometa, que brilhou intensamente, mas por um curto período, morreu cedo demais.

 

Quase ao mesmo tempo, vi um link de uma música de Jorge Ben, nem era Ben jor ainda, naquele instante as dias imagens se confundiram e se fundiram na minha mente. Meio sem entender, a relação, parecia distante, idade, tempo, espaço de atuação, mas depois vi o que se uniu naquele instante: Suingue. Era isto, além do jeito alegre e brincalhão, Jorge e Dener tinham uma coisa fundamental em suas artes, o suingue, a ginga. O tema futebol, também lhe são comum, Jorge Ben jor cantou e decantou músicas inesquecíveis tendo o futebol como pano de fundo.

 

A dose imensa de brasilidade na música de Jorge Ben jor, uma fusão de sons, ritmos um repertório riquíssimo, que fez a cabeça e o balanço de tantas gerações, uma espécie de James Brown local, que se recriou tantas vezes, ressurgindo e cantando antigas canções que parecem tão atuais e que, com certeza, estarão sendo ouvidas nas próximas décadas como se fossem novas. São versos simples aparentemente, mas com a voz inconfundível, marcando o ritmo, lento ou forte numa harmonia perfeita com a banda que o acompanha. Ouvir Jorge Ben jor é redescobri-lo, idolatrado, da mesma turma da Tijuca, do Tim Maia, do Erasmo e do Rei Roberto Carlos.

 

O Dener que me vem em mente é tudo aquilo que o Ricardo com maestria e amor à Lusa( sim, acreditem, ele torce pela querida Lusinha) já descreveu, o que me fez marejar os olhos, pois tantas vezes me empolgava com os versos poéticos dos dribles e gestos sutis do craque. O tempo, muitas vezes pensamos que deveria ser longo, para afirmarmos se um jogador é craque, mas Dener não teve o tempo, mas no pouco tempo, foi genial, isto nos conforta, mesmo 18 anos depois de partir o reverenciamos e nos embalamos com sua “música” seu bailado.

 

O baile de Dener

Imagem de Amostra do You Tube

 

O gol de Jorge Ben Jor

Imagem de Amostra do You Tube

0 thoughts on “Jorge Ben Jor e Dener”

  1. Além da Lusa ele teve uma breve e boa passagem pelo Grêmio. E na época de sua morte estava encerrando seu contrato com o Vasco. Tinha propostas para retornar à Portuguesa dona de seu passe ou ir para o Grêmio que havia feito uma bela proposta

  2. Um momento único na arte do futebol.
    Essa foi para o Fio Maravilha, mas parece feita para este golaço que só seria desenhado num futuro – http://www.youtube.com/watch?v=d7BbSoRCIKs
    Único também é o som de Jorge Ben Jor, que no passado todos desejam copiar,imitar, de Caetano Veloso que gravou Zumbi, Olha o Menino e outras maravilhas do Babulina, ou, Gilberto Gil que gravou o antológico álbum com Ben – GIL&JORGE ou XANGO&OGUN – e Chico Buarque que chegou a declarar “Eu queria ser Jorge Ben” – compôs a música “Jorge Maravilha” em 74 – quase imitando o famoso “voxê” de Jorge.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: