Crise 2.0: Notas de um Jantar

 

 

 

 

Hoje farei apenas anotações sobre Crise 2. 0, visitando alguns sites da Europa e vendo a configuração dos ditos governos “tecnocratas” chegamos a conclusão do tamanho do abismo que se aproxima a atual crise. Põe em risco o maior “capital” que era vendido ao mundo: A Democracia representativa. Esta, solapada de forma inapelável.

Basta ver, por exemplo, o Governo de Mario de Monti, que não é belo, dominado por tecnocratas ligados aos bancos, começando com o próprio Monti, passando pelo todo poderoso ministro do desenvolvimento Econômico, Infraestrutura e Transporte, Corrado Passera, que é Presidente do segundo maior banco popular da Itália, o Intesa San Paolo.

A Economista  Elsa Forneto, também ligada ao mesmo banco, é ministra do Emprego e Política Social. Claro que o Vaticano não seria esquecido, Andrea Riccardi da comunidade Santo Egídio, é ministro da Cooperação Internacional. Nas palavras deste último “montamos um belo gabinete de técnico”.

Porém, passado menos de três meses, uma nota do jornal Público, mostra a pouca importância de Monti, e da Itália, “Depois de Paris, Berlim. O primeiro-ministro italiano, Mario Monti, vai ser recebido na próxima semana pela chanceler alemã, Angela Merkel, para uma reunião centrada na resolução da crise da zona euro. É o segundo encontro de Monti com líderes europeus em menos de uma semana, com as questões europeias em cima da mesa”.

O caso grego, ou seria ocaso, ou melhor, caos, demonstra a pouca eficácia de se por um sátrapa vinculado ao Goldman Sachs, bom para eles, mas péssimo para o povo Grego, como já disse além de todas as mazelas por que passam ainda são solenemente convidados “a mais sacrifícios”. Lucas Papademos trata o povo com ameaças, de que o país “fecha” se não aceitar novas medidas.

Estes mesmo pedidos de mais sacrifícios são voz corrente em Portugal e Espanha, os governos destes países, com muita influência da banca e da Alemanha a ameaçá-los, exigem mais apertos e cortes da já grave situação da população. O sonho colorido do Euro se tornou um pesadelo sem fim.

Os britânicos, mesmo em constante queda no seu  padrão de vida, encontram no humor uma forma de espicaçar os poderosos donos da Europa. Um vídeo de Merkel e Sarkozy faz grande sucesso na internet, vejam a reportagem do EuroNews ( Jantar de Merkel e Sarkozy faz sucesso na internet ).

Imagem de Amostra do You Tube

 

 

0 thoughts on “Crise 2.0: Notas de um Jantar”

  1. Ri demais, mesmo sem entender patavina! (Só pobre pra rir das próprias misérias, né?) Quem dera que o Sarkô bebesse água do vaso, é o povão que tá bebendo, coitadinho!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: