3

    “Ouro! Ouro vermelho, fulgurante, precioso! Uma porção dele faz do preto, branco, do feio, bonito; Do ruim, bom, do velho, jovem, do covarde, valente, do vilão, nobre. … Ó deuses! Por que isso? Por que isso, deuses; Ah, isso vos afasta o sacerdote e do altar; E arranca […]

  “E tudo q nos parecia sólido, sumiu ao vento como nossos desejos” (Marx e Eu apud Shakespeare) Este texto complementa os dois anteriores ( Indignados, será que surgiu o “Novo”? e Xamãs, Gurus e a Novidade Nova ) procura debater o tipo de capitalismo que se engendra naquilo que se denominou de “o […]

4

    Nos nossos estudos sobre a Mitologia Grega, tratamos de Orfeu um típico Xamã, cumprindo ritos iniciáticos dos xamãnticos que era descer à mansão dos mortos (Hades), um rito de passagem que o tornará no futuro um grande curandeiro, mágico, profeta e visionário. A cultura grega, por influência de elementos vindos da […]