“O coração lhe abrasa: vê no espelho Das águas exprimida bela imagem, E o mesmo vê-la foi, que logo amá-la, Julgando corpo ser, o que era Sombra. De si mesmo se espanta, e fica imóvel, Revendo-se em si próprio, qual estátua Em mármore de Paros esculpida”. (Metamorfoses – Ovídio) Por […]

  Rubens – o rapto de Europa   Depois das reflexões do texto Noturno, acordei mais leve, vontade de voltar a ler os meus amados clássicos, como agora quase tudo leio na tela, fiquei procurando pdf/ebooks de algumas obras, infelizmente, nem todas tem nestes formatos, ou livrarias tentam “vender”, imagino que […]

7

  (Narciso –  Caravaggio) “puluis et umbra sumus – somos pó e sombra” ( Horácio – Ode)   O mito de Narciso é quase de domínio comum, mas vamos, com a imensa ajuda de um texto de Junito de Souza Brandão, procurar ir um pouco além. Conforme o mestre, seguiremos […]