Esse É Só Mais Um Texto De Alguém Reclamando Da Quarentena (Texto de Lua Rocha)

De olhos abertos, coração ligado (Lua em foto do instagram de Vinicius.Menezes)

É difícil começar a falar sobre o assunto mais esgotado do momento. Talvez isso seja só mais um dos milhares de desabafos perdidos em uma das milhares de plataformas online.

Mas é que venho perdendo o sono há quase 3 meses, ruminando e enlouquecendo com esses pensamentos e essa foi a melhor forma que achei para me libertar.

Agora que isso está publicado, já não é mais um problema só meu. É seu também leitor, que vai acordar às 4:43 da manhã atordoado com as mazelas apresentadas nesse texto. Provavelmente não.

Eu sinceramente não sei mais diferenciar o que é real, sonho, ou só mais um capítulo de uma série água com açúcar que consumi interruptamente porque era a única coisa a fazer. Ou talvez alguma live incrível de pessoas sendo incrivelmente produtivas que vi no instagram nas incessantes horas que passei rolando a tela.

Pode ser também algum dos super hilários vídeos do tiktok em que um adolescente super hilário faz aquela dublagem que outros mil “TikTokers” “trendy” fizeram. Quem sabe não foi algum vídeo no Youtube do Buzzfeed onde eles fazem coisas extremamente sem sentido, mas que por algum motivo eu achei que seria interessante passar 20 minutos vendo.

A questão é que eu passei muito tempo da minha vida reclamando que não tinha tempo o suficiente pra fazer tudo o que queria. Não tinha tempo para estudar, praticar esportes, conversar, ler, desenhar, ver filmes, dançar, testar receitas veganas diferentes, descansar ou simplesmente não fazer nada.

E agora que me foi dado TODO o tempo do mundo eu me sinto sufocada. E também acabei percebendo uma verdade muito cruel de aceitar: nada importa se eu não tenho as pessoas que eu amo para compartilhar (e não, não é compartilhar na droga da minha página do Facebook).

One thought on “Esse É Só Mais Um Texto De Alguém Reclamando Da Quarentena (Texto de Lua Rocha)

Deixe uma resposta

Next Post

Odisseu: Entre Cila e Caríbdes

qua maio 13 , 2020
Share this on WhatsApp “Quantos, na nau Sensualidade, que sempre navega com cerração, sem sol de dia, nem estrelas de noite, enganados do canto das sereias e deixando-se levar da corrente, se iriam perder cegamente, ou em Cila, ou em Caríbdis”. (Sermão de Santo António aos Peixes, Padre António Vieira). […]

You May Like

%d blogueiros gostam disto: