Olhar 43

 

 

 

É, chegamos lá, aos 43 invernos, parece simples, fácil, muitas vezes foi, mas como a vida tem dinâmica própria, somos sujeitos a muitas viradas de humor das Moiras. Nossos fios dos nossos destinos fiados por elas, indicando o que nos acontecerá, por toda uma existência. Pensar assim, alivia, dará uma visão mais leve da vida, pois não ficamos nos atormentando com o que nos acontecerá. Como já escrevi antes aqui:

“As três irmãs são as Parcas (Nona, Décima e Morta),  Moiras(Cloto, Láquesis e Átropos) para os gregos, que determinavam a  sorte do homem: Nona tecia o fio da vida, Décima cuidava de sua extensão e caminho, Morta cortava o fio. As sortes(ou azares), se vê descrito, como ter uma madrasta avarenta, os ditos populares tão bem versados. As três sinas se transmutam para : Morte, Saudade e Dor”. ( Gabriela – Elomar )

 

Saindo da poesia e vindo para a mundo concreto, posso dizer que os primeiros 43 foram bons que venham mais, os bons combates da vida, em todos eles, em que estive presente, não me omite. Busquei o lado justo, correto e o mais honesto possível, lealdade com os amigos, companheiros de luta e de trabalho. Minha sensação é de dever cumprido, com muitas faltas, mas com mais acertos. Tudo que conquistei foi fruto de árduo trabalho, dedicação, sem qualquer facilidade, dependendo sempre do meu desempenho e suor, o que muito me orgulha.

 

Também é verdade que os últimos dois anos minha vida entrou num ciclo de muita dor, medo, talvez os mais difíceis de minha existência, a doença de minha filha, em muito abalou minha confiança, certeza, agora, com sua dura luta se tornando vitoriosa, começo a recuperar um pouco o brilho e a alegria de viver. O aprendizado, cruel, doloroso, não tem nada de normal ou necessário, apenas acontece na vida, ninguém fica melhor por ter sofrido muito, a vida não é para sofrer, não neste nível, mas quando se passa por isto, a força que se tem, internamente, supre as fraquezas externas.

 

Hoje, vamos comemorar, rir, ser felizes, sem nos descuidarmos do amanhã, do que somos, do que queremos ser na vida, meus amigos, familiares, companheiros de luta e trabalho, obrigado por todo carinho, em particular por estes dois anos tão complicados, a força que recebi e incentivo foram fundamentais.

 

Para os mais jovens, deixo meu olhar 43, de verdade…naquela época, nem imaginava como seria o dia de hoje.

 

“E pra você eu deixo apenas
Meu olhar 43,
Aquele assim meio de lado
Já saindo
Indo embora”

(RPM – Olhar 43)


Imagem de Amostra do You Tube


0 thoughts on “Olhar 43”

  1. Olá, Arnobio.

    Conforme o tempo passa, vamos nos ‘amedrontando’, porque aprendemos a ter juízo e não mais vemos tudo como na adolescência, onde parece não existir fim para vida e tudo poderá ser consertado amanhã, como se fôssemos gatos ‘morrendo e renascendo’.

    Com uma família, o medo aumenta mesmo! E todos têm medo que a ‘ordem’ se altere por forças que não alcançam…Quem diz que não, está mentindo. O friozinho na barriga só tende a aumentar.

    Por isso, tudo está dentro da normalidade!!
    Se você viver o dobro do que viveu até hoje, acaba de nascer e pode fazer tudo errado ou certo novamente!

    Desejo muita paz, felicidade…
    E serenidade para continuar nos informando!

    Abraços
    Elaine

  2. É o tempo passa o tempo voa…
    Muito bom comemorar e bebemorar a vida, os amigos, familia e todas as conquistas ao longo da caminhada.
    Eu estou feliz com o meus 44anos completados ontem!
    Viva nós os leoninos de garra e fibra nessa vida que não é para fracos e frágeis… Ser forte se torna um dever em nossas vidas!
    Um grande abraço e
    Feliz Aniversário!

    Daci Vieira

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: