Mais um Domingo Vencido

O Ocaso de mais um domingo.

O fim de domingo não é fácil, imagino que não seja fácil para ninguém, é o ponto de retorno de toda semana, aquele eterno recomeço anunciado, que, por rebeldia, o negamos.

Em geral fico num estado de espírito terrível, as maiores tragédias da vida aconteceram em domingos, isso piora a relação com ele. É complexo, qualquer contrariedade, a mínima que seja, conseguimos transformar num enorme e delicado problema, parece incrível como não conseguimos relaxar, pois as grandes unhas da segunda veem nos ameaçar e nos pegar.

Os anos vão se passando e vamos tentando de todas as formas mudar este sentimento de melancolia, nem sempre com sucesso, quando parece que avançamos, a voz do faustão ou a musiquinha do fantástico te remetem à desgraça.

É uma coisa automática, nem precisa rir de mim, é um fato.

Até cogitei trabalhar no domingo e folgar na segunda, tola ideia, as obrigações da segunda te obriga a viver o domingo e as dúvidas da semana, que ele traz à tona.

O domingo é marcante, mesmo quando estamos de férias, ele nos avisa que os demais terão que acordar cedo na segunda e voltar ao trabalho, e você ficará sozinho no outro dia, é brincadeira?

Um filme, no fim do dia, esquecer e viajar no tempo, para frente ou para trás, sair da realidade, do resultado do futebol, das alegrias ou tristezas, das frustrações, para ter algum alento para enfrentar a temida segunda.

Ou quem sabe, ouvir suas músicas, que te transportem à outros lugares, outras vidas e existências, afinal a criação musical tem o maravilhoso poder de ser um bálsamo para alma, mesmo as mais atormentadas, pelo tempo ou pela vida.

De mais um domingo, uma boa semana e, se possível, um boa Segunda para Todos e Todas.

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

19 Meses sem seus olhos...

qui jun 18 , 2020
Share this on WhatsApp São 19 meses, mas meu coração parou às 13:41 daquele 18.11.18. Há um coração e um cérebro, paralelos, que me mantém vivo e respirando, uma vida que não é a mesma, uma realidade que me faz continuar, seguir, sabe-se lá para onde. Escrevo aqui para Letícia, […]

You May Like

%d blogueiros gostam disto: