1

Aqui, mais uma vez, vou professar minha fé na Democracia e na Política, sem embargos: Prefiro a liberdade de TODOS os corruptos eleitos, do que a pureza prometida pelo Estado de Exceção, Estado Policial do MP/PF/Judiciário. A limpeza “étnica”, prometida, só sobrará a “casta dos puros” (apud Jucá), tendo à testa os concurseiros da meritocracia. Obviamente […]

“Religionum animum nodis exsoluere pergo” (Esforço-me por libertar o espírito dos nós das superstições – Tito Lucrécio Caro (De Rerum Natura, I, 932) Durante seis meses, em 1996 morei no Japão e tive a oportunidade de viver num modelo de sociedade em que os valores ocidentais de democracia e de […]

“Por isso te detenho e prendo como a embusteiro universal, que exerce arte ilegal proibida pelo Estado. Prendei-lo logo”.  ( Otelo, O Mouro de Veneza, William Shakespeare) Dia de domingo é para viajar em ideias e metáforas incômodas. A vida imita a arte, mas ganha ares trágicos, revendo o Batman, […]

  “Canta, ó deusa, a ira funesta de Aquiles Pelida, ira que tantas desgraças trouxe aos Aqueus e fez baixar ao Hades muitas almas de destemidos heróis, dando-os a eles mesmos em repasto aos cães e a todas as aves de rapina: cumpriu-se o desígnio de Zeus, em razão da […]

7

  Amanheci com um artigo sobre Aquiles, o Pélida, pronto para escrever, como já escrevera sobre a Ilíada (ou a Ira de Aquiles) Iliada – Resumo , pensei em particularizar a trajetória deste Herói por excelência, mas aí resolvi voltar a ler algumas características do HERÓI em Junito de Souza Brandão, esqueci, […]

2

Toda vez que vou a uma livraria e vejo uma tradução da Ilíada, fico tentado a comprar, não foi diferente neste fim de semana, quando fui à livraria Cultura. Vi duas traduções de Frederico Lourenço. A edição me pareceu tão bem cuidada, visual bem caprichado. O que é melhor é […]

  “De Teucros nuvem basta as naus circunda; Pouca ourela da praia aos Dânaos resta; Ílio em peso concorre e afouta inunda. Oh! Não vêem mais luzir meu capacete: Se o rei me fora justo, em fuga tinham O fosso de cadáveres enchido” ( Canto XVI )   Parece que […]

  (Orpheu – Gustave Moreau)   “And how can you mend a broken heart? How can you stop the rain from falling down? How can you stop the sun from shining? “( How Can You Mend A Broken Heart – Al Green) É uma doce ilusão que o passado pode voltar, […]