“Mas eu que despertara, refletia em meu irrepreensível espírito se devia morrer, lançando-me nas ondas ou se permaneceria em silêncio e continuaria entre os vivos. Resolvi sofrer e ir vivendo… ” (Odisseia, Canto X, 49-53, Homero) Assoberbado pelo o dia, não este apenas, todos eles, de mais um ano cruel, […]

“A flor brilhava intensa e maravilhosamente, e provocava admiração De quantos, então, a viram: deuses imortais e homens mortais” (Hino Homérico a Deméter) Durante essa pandemia, uma das maiores tragédias da humanidade em tempo de paz, é uma oportunidade de Reflexões, que a roda viva a que estávamos acostumados, não […]

Arquivos