1

“Lights go out and I can’t be saved Tides that I tried to swim against” (Clocks – Coldplay) De uns dias para cá, comecei a ouvir sempre a meia noite um som de um despertador de um relógio digital, coisa que tinha ouvido muitas vezes, antes da Letícia partir, naquele […]

“A morte, essa justiceira cruel, é inexorável nos seus prazos” (Hamlet – Shakespeare) A maior violência da vida é a morte de um filho. O texto podia terminar na frase acima, pois tudo aqui e abaixo é mera redundância, expiação, lamúrias, algum amor e sentimento, principalmente, poesia, mesmo que machuque. […]

“E após com ótimas armas Crono de curvo pensar, filho o mais terrível: detestou o florescente pai” (Teogonia – Hesíodo) Vivemos ondas de senoides sincronizadas que se somam e trazem resultados que colocam a humanidade em xeque. As várias frequências que entraram numa mesma sintonia, quase interferência, a vibrar num […]

“Corra não pare, não pense demais Repare essas velas no cais Que a vida é cigana É caravana É pedra de gelo ao sol Degelou teus olhos tão sós Num mar de água clara, clara” (Caravana – Geraldo Azevedo/Alceu Valença) É 18. Mais um, o décimo, desde então. A cada […]

“Na minha desventura, contemplo um mar tão vasto de infortúnios, que nunca poderei salvar-me a nado, nem ao menos vencer esta vaga fatal que ora me assalta” (Hipólito – Eurípedes) Então, chegamos mais uma vez a uma encruzilhada, olhar para trás está fora de questão, Orfeu se arrependeu, ao fazê-lo, […]

“O que foi, torna a ser. O que é, perde existência. O palpável é nada. O nada assume essência”. (Fausto – Goethe)  Ora, quando se tem 9 ou 10 anos, ao acabar uma Copa do Mundo, pensamos que está longe e como demorada será para chegar a próxima, pois, 4 […]

“Deus me acuda! A arte é longa, a vida breve.” (Fausto- Goethe) Reli uma velha crônica que escrevi, Finitudes , com o patético pedido de que algumas canções ou livros, nunca terminasse. O luto, a sensação de perda, ao terminar uma obra, muitas é devassador, produzindo em mim, ou é nós, […]

“Nada há de sério na existência humana, Tudo não passa de frivolidade” (Mabeth – W. Shakespeare) A Classe, ou seja 99% das pessoas, vive sob constante pressão: Terá o que comer amanhã, como pagar as contas que vencem na semana que vem ou, terá trabalho no próximo mês. São as […]

“Carpe diem quam minimum credula postero” (Colhe o dia presente e sê o menos confiante possível no futuro – Horácio, Odes) O tempo de correr já passou e é assim que começo a pensar e a tentar viver. Repensando o que escrevi a tão pouco tempo sobre a pressa: “Então […]

1

“Cada qual, diz benigno, tem seu dia; A vida é breve e irreparável tempo; Mas rasgos de virtude a fama exalçam”. (460-462, livro X, Eneida, Virgílio)  Meus dias têm mais de 24 horas e peço para que eles não sejam tão longos, que me torture menos, para que possamos viver […]

Uma das coisas que procurei não fazer no blog, nestes anos todos, foi escrever sob demanda, com pautas definidas ou temas impostos, por nada e ninguém. A razão é bem simples, o que escrevo aqui representa exatamente meu estado de ânimo, minhas alegrias, minhas frustrações, meus prazeres e minhas dores. […]

1

Como se articulam as pequenas tragédias, os incidentes pessoais com a do mundo todo, que é feito de grandes acontecimentos, trágicos ou não? Afinal, o que nós somos? Um mundo inteiro cabe em nós, mas nosso mundo é minúsculo diante da imensidão do “mundo”. Aqui, lembremos, a relação do “nosso” […]