“Para quem quer se soltar invento o cais Invento mais que a solidão me dá Invento lua nova a clarear Invento o amor e sei a dor de encontrar” (Cais – Milton Nascimento e Ronaldo Bastos) A voz que desafia a lógica, que nos põe em dúvida da existência de […]

“puluis et umbra sumus” (somos pó e sombra – Horácio) É que o FIM sempre nos assusta, no caso a morte é o último ato da vida e continua inescapável, que nem a Escatologia resolve ou dar paz aos que ainda estão em vida, pois a certeza da morte assusta […]

  Como vocês já devem ter notado, quando me apaixono por um autor ou tama, não sossego enquanto não lhe ler a obra, me familiarizar com seus escritos, foi assim com Shakespeare, Dante, Goethe, Machado de Assis, Jorge Amado, Érico Veríssimo e tantos outros, não poderia ser diferente com Nelson […]

  Esta semana estava lembrando de como gostava do Bexiga, acho que deve ter sido porque sábado almocei com amigos numa pequena cantina, a  14 de Julho, ambiente aconchegante, bom papo, uma volta ao passado. Um bairro que frequentava tanto, as cantinas, os bares, as padarias. Trabalhei muitos anos ali […]

  Sonhos de uma noite de Verão William Shakespeare É-me im­pos­sível acreditar em fábulas antigas e em histórias de fadas. Os amantes e os loucos são de cérebro tão quente, neles a fantasia é tão criadora, que enxergam o que o frio en­ten­di­men­to jamais pode entender. O namorado, o lunático […]