“Todo dia eu só penso em poder parar Meio-dia eu só penso em dizer não Depois penso na vida pra levar E me calo com a boca de feijão” (Cotidiano – Chico Buarque) Por muitos anos, publicava a música da sexta, que era um dia especial, anunciava os dias de […]

Então chegou a sexta, #sextou uma qualquer, mas é sexta, de uma semana estranha, muito estranha, aquela em que seria de carnaval, que foi “cancelado”, a maior prova de que os tempos são mais do que anormais, nem adiante teimar com a realidade, é o estranhamento o que vivemos, e […]

1

A Escavação (The Dig, Netflix, 2021) é um filme britânico grandioso, uma história bem contada, um roteiro com diálogos densos e intensos, tem como pano de fundo os movimentos de Hitler que levariam à segunda guerra mundial, as invasões e o desprezo às ameaças britânicas. O arqueólogo amador Basil Brown […]

Por sugestão do Professor Pedro Serrano⁩ vi ontem um dos filmes mais duros dos últimos anos, O Tigre Branco (Netflix), em que retrata a horrível realidade da Índia, exatamente como ela é. O que de certa forma guarda muitas questões  próximas com a miséria endêmica do Brasil. Os guetos de […]

  Hobbit, uma jornada inesperada foi a retomada do universo de Tolkien ao cinema que havia sido explorada na grandiosa trilogia O Senhor dos Anéis (A Sociedade do Anel, As Duas Torres e O Retorno do Rei) , ou melhor, o recomeço, a aventura prévia de Frodo Bolseiro. Recentemente, o […]

Amanheci ouvindo velhas canções clássicas, em interpretações espetaculares, Unchained Melody e How Can You Mend a Broken Heart, com Al Green, Changes, com Charles Brandley e I’d Rather Go Blind, com Etta James, as potentes vozes negras,  jazz, soul music e a capacidade inventiva de recriar, improvisar, dão mais emoção […]

Nas últimas semanas tenho assistido umas séries finlandesas (Deadwind, Bordertown), islandesa (O Assassino de Valhalla), polonesa (Ultravioleta) e uma inglesa (Collateral). Exceto a última, idioma que tenho algum conhecimento, as demais o que me atraiu, além da qualidade, os exóticos idiomas, a diferença de sonoridade, que não lembra em nada […]

Essa noite vi um grandioso filme, “Um homem de Sorte” (Lykke – Per) (Netflix), de Bille August, que retrata a Dinamarca do século XIX, rural, pobre e atrasada. Imediatamente me veio uma série de questionamentos sobre mim mesmo, minha trajetória, meus conflitos, minha personalidade errática, orgulho e vaidade, as conquistas […]

“O que importa é que sem a ver o acrediteis, confesseis, afirmeis, jureis e defendais; quando não, entrareis comigo em batalha, gente descomunal e soberba” (D.Quixote – Miguel de Cervantes) É uma poesia e uma metáfora. Os níveis da consciência e do inconsciente que se cruzam numa moral cristã e […]

“Sonhos e fantasias, quando se tornam realidade, são decepcionantes” (Amos Oz) Vi dois filmes lindos, Desobediência e De Amor e Trevas, com temática e ambientado na comunidade judaica, o uso do hebraico, uma língua de uma sonoridade estranha e bela, os cantos, as lamentações, uma mistura de dor e elevação, […]

“Nobody writes about anything but themselves” (Animais Noturnos) O filme, Animais Noturnos, é uma porrada, um soco no estômago, todo estranhamento o torna imenso, a reflexão é doída, sem se saber como iniciar a falar sobre o que se viu. A primeira cena é uma performance de uma exposição de […]

“Para quem quer se soltar invento o cais Invento mais que a solidão me dá Invento lua nova a clarear Invento o amor e sei a dor de encontrar” (Cais – Milton Nascimento e Ronaldo Bastos) A voz que desafia a lógica, que nos põe em dúvida da existência de […]