Nas últimas semanas tenho assistido umas séries finlandesas (Deadwind, Bordertown), islandesa (O Assassino de Valhalla), polonesa (Ultravioleta) e uma inglesa (Collateral). Exceto a última, idioma que tenho algum conhecimento, as demais o que me atraiu, além da qualidade, os exóticos idiomas, a diferença de sonoridade, que não lembra em nada […]