“I’m waking up to ash and dust I wipe my brow and sweat my rust I’m breathing in the chemicals”  (Radioactive – Imagine Dragons) #Leucemia : Quando ela bate na sua porta!, foi esse o nome do primeiro artigo contado do que aconteceu naquele fático dia. Há nove anos, 11.06.2010, […]

3

Querida e amada Letícia, Eu te amo, hoje, assim como todos os seus dias e pelo resto dos meus dias. A vida será marcada pelas nossas datas, o que dói, desde aquela despedida, no cabalístico, 18.11.18. E a cada 18, será mais dolorido, pois, você, em matéria, não está mais […]

“Vai-se-me em névoa o mundo. Emanações subtis que exalais, vem tornar-me aos anos juvenis. Que imagens que trazeis de dias tão risonhos!… Caras sombras! sois vós? aéreas como em sonhos?” (Fausto – Goethe) Ainda nos resta um último fôlego para aguentar um novo mergulho, nas águas turvas de um rio […]

“Que vale a glória, a saudação que enleva Dos hinos triunfais na ardente nota E as turbas devaneia? Tudo isso é vão e cala-se na treva… — Tudo é vão, como em lábios de idiota Cantiga sem ideia” (Lira dos 20 anos – Álvares de Azevedo) O 18 é especial […]

“I try to laugh about it Cover it all up with lies I try to laugh about it Hiding the tears in my eyes ‘Cause boys don’t cry (Boys don’t cry – The Cure) A dor causa confusão, a cabeça confusa, é incerta, imprecisa, não consegue lidar com o vazio […]

“Quando penso no teu rosto, fecho os olhos de saudade Tenho visto muita coisa, menos a felicidade Soltam-se meus dedos tristes Dos sonhos claros que invento Nem aquilo que imagino Já me dá contentamento” (Marcha – Cecília Meireles) Algumas leituras sombrias, talvez não sejam apropriadas ao período do ano, esse […]

“Deus me acuda! A arte é longa, a vida breve.” (Fausto – Goethe) Hoje completa um mês da partida de Letícia para aquele campo indefinido, de onde não se tem notícias, exceto pelo ato de fé, que em várias crenças e religiões tentam nos confortar. Na celebração cristã, herdada da tradição […]

4

Ali, naquela pequena mesa, na cozinha de casa, apenas havia dois lugares “marcados”. Nos olhávamos e muitas vezes apenas o silêncio nos acompanhava. Quase sempre era o corre-corre do dia a dia, de tomar o café apressadamente, para ir à escola, anos depois para chegar à faculdade. Quantas e quantas […]