Desabafo de um dia gelado de Outono

O Cinzento momento, o pensar dolorido e (quase) sincero.

“Veja o sol
Dessa manhã tão cinza
A tempestade que chega
É da cor dos teus olhos
Castanhos”
(Tempo Perdido – Legião Urbana)

Lá fora faz um frio miserável, exagerado para o outono, prenúncio de inverno frio, os dias estão mais cinzas, assim como meu (mau) humor de 64 dias de quarentena e isolamento.

Vamos ao que interessa.

Quem escreve achando que não será alvo de críticas, de observações, de impressões, melhor não fazer. Essas questões fazem parte da arte de se expor publicamente, indistintamente, para pessoas, grupos, que jamais souberam de si, do que você faz, ou deixa de fazer.

Claro que alguns “toques” de amigos, colegas, com algum desvalor servem para uma reflexão mais profunda, não para agradá-los, mas para entender a razão da percepção (boa ou ruim) que se passou num texto ou num conjunto de sua produção.

Muitas vezes ficamos atordoados, meio sem chão, de que a frase A, é lida como B, o que nos indica que a comunicação foi falha, não se foi muito claro o que se pôs na tela/papel.

Esse Blog tem Dez anos e meio, quase 1.700 artigos, penso que me virei pelo avesso, me mostrei intimamente, ou apenas finge ser o que não sou, não importa, cada um lê com suas lentes e com suas réguas, sua medidas, esse blog não é para mudar ninguém, talvez nem a mim mesmo, somos o que somos.

O resto é silêncio. (WS)

Neste blog há uma mensagem sobre o conjunto de valores intelectuais (baixos ou altos) que acumulei na minha trajetória de vida, de formação política e humana, que não se repete e não obriga ninguém a fazer o mesmo.

Vários medos, dores, pavores, pânicos, e também, prazeres,alegrias, exaltações, tudo isso foi descrito aqui, sem nenhum pudor, talvez isso assuste, cause repulsa, em outros carinho e amizade. Saibam, apenas que fiz o que fiz porque sou livre para escrever, sei das consequências pessoais, políticas e jurídicas, em caso de alguma leviandade, ou informação falsa, caluniosa.

Aqui se perde e se ganha todos os dias, talvez no passado bem remoto até olhasse quem lia, se gerava audiência, depois, liguei um sonoro FODA-SE. Vem aqui quem quer, lê quem quer, fale o que quiser, nada mudaria o que já fiz.

Reafirmar isso é deixar claro que não vou me dobrar e nem aceitar o julgamento sobre o que faço, de que se devo ou não escrever, uma coisa que me incomoda demais, desde o início desse blog era quando sugeriam “pautas”, “demandas”, não me obrigo com isso, é péssimo para criar, mata a espontaneidade desses 15 minutos de escrita.

Meu método de escrever é bem simples, venho aqui, escrevo por 10 a 15 minutos, se passar desse tempo, é porque o que tenho a dizer não é livre, depende de elucubrações que perdem o espírito do blog, que é o meu jeito, goste-se ou não, apenas não leia, delete.

Vida que segue. Um grande FODA-SE!!!

 

admin

Nascido em Bela Cruz (Ceará- Brasil), moro em São Paulo (São Paulo - Brasil), Técnico em Telecomunicações e Advogado. Autor do Livro - Crise 2.0: A Taxa de Lucro Reloaded.

Deixe uma resposta

Next Post

A Modernidade em Xeque

sáb Maio 16 , 2020
Share this on WhatsApp “De todos faz covardes a consciência” (Hamlet – W Shakespeare) Tantas tecnologias no alvorecer de um novo mundo, comunicações, sem no entanto fazer romper com os dilemas mais elementares, já pensados e postulados em épocas passadas, apenas para nos lembrar o que realmente somos, não importando […]

You May Like

%d blogueiros gostam disto: