2

“Ao triste, que varado expira chamas, Num torvelinho em rocha aguda o crava” (Eneida – Virgílio) Bom dia, bom ano novo, a cada dia mais distante desse caminho, porém ainda estou por aqui, mesmo que parecesse que tinha sumido, ainda visito esse blog, nem que seja para constatar a sua […]