Brasil – A Copa das Copas

Brasil - unidos, misturados e felizes
Brasil – unidos, misturados e felizes

A Copa do Mundo é um sucesso, parece que já há um consenso mundial de que a Copa no Brasil estará entre as melhores de todos os tempos. Agora que teve encerrada a sua primeira fase, de forma espetacular, com grandes jogos, emocionantes disputas e muitos e muitos gols. As seleções, em sua maioria, se preocupando em jogar para vencer, contrariando as expectativas anteriores, esta é a Copa dos Gols, uma média impressionante de quase três gols por partida. Os aeroportos, os transportes públicos, o acesso aos estádios, e o estádios funcionando bem acima dos que se esperava.

Todo aquele clima sombrio que apontavam para a realização do mundial, aos poucos foi se transformado em uma grande festa, as pessoas, os povos e as gentes se encontraram aqui no Brasil, o país acolhedor, que gosta de receber, de se misturar de tratar bem aos que nos visitam, mais uma vez dão uma lição maravilhosa de carinho e atenção a todos, uma aula ao mundo de que aqui, pode faltar (e falta) muita coisa, mas sobra criatividade, vontade e desejo de que todos se sintam em casa, que se contagiem com nosso jeito de ser, de se divertir e comemorar. Todo aquele mau humor foi enterrado já nos primeiros acordes do hino nacional.

É importante verificar quem são os derrotados, aqueles que apostaram no CAOS, no fracasso total da Copa, de que o Brasil era incompetente, de que nada que se faça aqui serviria de exemplo para o mundo. Óbvio que estes jamais vão reconhecer o que dizia a menos de um mês, de sua oposição POLÍTICA feroz à Copa, como fez o Jornal Nacional e TODA a Rede Globo, que tratou de detonar o evento, ontem dizia que era “culpa da mídia estrangeira” que tratou a Copa no Brasil como catástrofe.

Segundo o Le Monde, nas palavras do correspondente Milton Blay, do grupo Bandeirantes:  “A catástrofe não aconteceu, ao contrário, a Copa no Brasil está transcorrendo de forma espetacular, com ótimos jogos, muitos gols e boas surpresas, nada lembra o que previam sobre o possível desastre(note que ninguém assume as previsões). A hospitalidade e o carinho compensam as eventuais falhas nos estádios ou de infraestrutura para receber os turistas”.  Este mesmo jornal francês, em abril anunciou que a prova seria uma catástrofe, o que foi amplamente repercutido aqui no Brasil pela mídia Anti-Copa.

Poderia pegar centenas de exemplos parecidos a este do Le Monde e montar um joguinho do “antes” e “depois”, mas não vai mudar mais a ordem das coisas, a maior derrota desta Copa é, em primeiro lugar, da Mídia/Oposição brasileira que lutou incansavelmente pelo fracasso da Copa, que seria uma forma de impor uma derrota ao governo federal, mesmo que a responsabilidade geral da Copa fosse de todos os entes federativos, mas o foco era desgastar o Governo Dilma, a gestão petista, pouco importando se isto prejudicasse o Brasil.

Há um segundo grupo de derrotados locais, os “indignados”, os tais “Novos”, por exemplo, um chamado FDE( Fora Do Eixo) e seu braço de mídia, NINJA, chegaram a anunciar que fariam uma “República da Cinelândia”, com governo, parlamento, moeda própria, para mostrar à mídia mundial que “havia uma outra Copa no Brasil”, contrapondo ao Governo Nacional. Seu braço de mídia, a tal NINJA, inflava os números cada vez menores de manifestantes do “Não Vai ter Copa”, quanto mais se aproximava a Copa, não diferindo muito das manipulações da Mídia tradicional. O que dizer do restante da ultraesquerda, que apostou no desastre, chamando greves oportunistas, como a do Metrô em São Paulo, para tentar melar a Copa, agora diz que “não é o momento de protestar” (Luciana Genro) ou de que a palavra de ordem “Não vai ter Copa, não era flexível, podia se tornar antipática”, ou algo assim.

Um terceiro grupo de derrotados é das “celebridades” e “subcelebridades”, que trombeteavam contra a Copa, apenas repetindo o que a mídia divulgava, sem jamais tentar entender a dimensão e a importância para o Brasil de um evento desta magnitude. Quantos e quantos programas de TV, ou posts nas “Redes Sociais” destes indignados seletivos, reclamando de corrupção, desinformando sobre os custos e gastos com a Copa ou amplificando as mentiras mais absurdas, sem o mínimo esforço de checar a veracidade do que divulgavam, mas nenhum deles recusou a fazer propaganda ou receber convites para irem aos estádios, mesmo que fosse para esculhambar, por exemplo, a Presidenta do Brasil.

O importante é que o governo se mantenha firme, a inflexão de “apoio” ou de “não agressão direta” ao evento, é apenas tática, eles continuam à espreita, prontos para o ataque, não deixarão passar nada em branco, querem e vão procurar “pelo em ovo”, para tentar desmoralizar a Copa, estão desesperados com o estrondoso sucesso do evento, agora tentam dizer que este sucesso “não tem pai, não tem mãe” é fruto do acaso, das coincidências, como se estádios, aeroportos, mobilidade urbana( ainda que deficitários), caíram do céu, ninguém estava por trás de tais obras.

Os números são impressionantes, com efeitos positivos em longo prazo: 3,6 bilhões de pessoas assistindo e acompanhando o evento em TV, Internet no mundo, em 186 países, quase 50% da população mundial. Mais de 1,5 milhões de minutos com imagens positivas sobre o Brasil, cidades, pessoas, festas, cultura, se isto tivesse que ser pago seria algo como 3 trilhões de dólares(2 milhões o minuto em horário nobre). Mas não para aí, 160 mil norte-americanos compraram pacotes da copa, 68 mil alemães, 54 mil ingleses. 100 mil argentinos no sul, 80 mil colombianos, 40 mil chilenos, 30 mil mexicanos. Os gastos com turismo ( interno e externo) chegaram aos 7 bilhões de reais, mais de 33% acima do que era estimado.

Foi duro chegar até aqui, espero que olhemos, agora, para frente, o que passou não volta, temos que fazer o melhor na reta final, quem sabe o título não seja apenas em campo, mas todo o efeito positivo deste momento espetacular do Brasil, esta nação tão contraditória, mas ao mesmo tempo tão encantadora e tão surpreendente.

#Vai BRASIl… #CopadasCopas.

PS: todos meus artigos sobre a Copa das Copas:

Brasil 3 x 1 – Quando as Ofensas nos Constrangem.

Mulher acha ingressos de mexicano e fez uma Odisseia para Devolvê-los

A Paixão pelo Futebol está Tatuada em nossas Almas.

Brasil 0 x 0 – A América Latina em Festa.

O Espírito de uma Copa do Mundo

O Legado de uma Copa

Brasil 4 x 1 Camarões – Neymar, o Curupira.

Copa do Mundo no Brasil: Do Caos à Ordem

One thought on “Brasil – A Copa das Copas”

  1. Muito bom, Annobio. Não sabia desse “governo paralelo”… que coisa patética! Ando tendo uns furores assassinos, qQuase desejando uma boa ditadura nas fuças deste povo imbecil.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: