Qvo Vadis?

 

Depois das olimpíadas que acompanhei com muito entusiamo, alegria e sofrimento, escrevi alguns posts, com opiniões sobre o desempenho do Brasil e alguns dedicadas aos esportes/atletas que mais me encantaram, ao final publiquei um pequeno balanço ( #VaiBrasil: Balanço Olímpico ). Durante os jogos dei uma paralisada geral no blog, eventualmente publicando algo sobre economia mundial, na série sobre a Crise 2.0, agora tenho que retomar as minhas reflexões, confesso, com certa preguiça, além de uma desmotivação geral, no fundo o que me deixa assim é a necessidade de dar novo foco ao blog.

 

A sensação de que preciso que algo grande aconteça na minha vida, não importando em qual campo seja: trabalho(carreira), política, ou produção intelectual, até mesmo sonhos.  Mas nada surge, apenas o mesmo panorama, a mesma espera, pelo porvir,  ou será, que  talvez tudo isto esteja a acontecer, só que não consigo visualizar, ou sentir? Com esta dúvida, vou procurar inspiração para seguir escrevendo. Livros, filmes, música, algo do cotidiano, afinal a melhor razão para escrever este blog é manter um nível de sanidade mais alto. Pode ser uma fuga, pode ser um alento, ou simplesmente uma necessidade vaidosa.

 

Quando escrevemos, além de nossas qualidades, que aparecem, também  nossos muitos defeitos afloram, esta luta interna, “vazam” em qualquer texto. Desde as primeiras linhas ou nas últimas, não nos isolamos do que somos, aliás, nos revelamos de forma total, como se estivéssemos nus. Aquele papo de que o poeta é um “fingidor”, serve apenas para dar um certo charme à arte, o sentindo é “poético”. Ao leitor atento, nada escapa, o que ele ler, sabe o quanto há de verdade e o que há de fantasia, não importa qual tema seja.

 

Nestes momentos de busca de novos rumos, saber o para onde vais?(Qvo vadis), é sempre incerto, mas sabemos que temos que ir, experimentar novos caminhos, buscar novas fórmulas e formulações, enfim: Mudar. Enquanto não fui tocado por esta mudança, tentemos, honestamente, fazer o que trilhamos, por mais algum tempo. Quem sabe a questão esteja tão próxima de mim, mas ainda não consegui abrir os olhos para ela, ou o espírito fechado. Ou simplesmente : gnôthi s’autón, o indispensável conhece-te a ti mesmo.

0 thoughts on “Qvo Vadis?”

  1. É engraçado como pasamos por esses momentos de duvidas e incertezas em nossas vidas.
    Dizem que são as mudanças de ciclos, mais não se avexe não que logo isso se acalma e você encontra um rumo… Queremos mudar,trasformar, queremos novidades e as vezes isso demora para quem tem pressa!
    Abraços e bjus nas filhas lindas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: