Sonhos de uma noite de verão

 

Sonhos de uma noite de Verão

William Shakespeare

É-me im­pos­sível acreditar em fábulas antigas e em histórias de fadas. Os amantes e os loucos são de cérebro tão quente, neles a fantasia é tão criadora, que enxergam o que o frio en­ten­di­men­to jamais pode entender. O namorado, o lunático e o poeta são compostos só de imaginação.

 

Tema: Comédia


 

Teseu, o herói grego prepara seu casamente com a rainha das amazonas, a bela Hipólita, a grande festa é anunciada em Atenas, porém, antes das núpcias o Rei Ateniense recebe em audiência Egeu, nobre da cidade, quem vem reclamar de sua própria, Hérmia, que se apaixonou por Lisandro, mesmo tendo sido prometida à Demétrio em casamento, Pelas leis atenienses era assegurado ao pai, até a morte da filha caso desobedece suas ordens.

HÉRMIA — Assim crescer prefiro, meu bom lorde. viver e perecer, a ver os sacros privilégios de minha mocidade em poder de um senhor, cujo aborrido jugo minha alma do íntimo repele.
TESEU — Refleti mais um pouco. Na outra lua quando tiver de ser selado o liame sempiterno entre mim e a minha amada – nesse dia tereis de decidir-vos ou a morrer por desacato franco à vontade paterna, ou a ser esposa de Demétrio, ou a fazer no altar de Diana ju­ra­men­to de eterna austeridade num viver virginal e solitário.

 

Teseu dá à Hérmia mais um dia para que se decida sobre o seu futuro. Lisandro e Hérmia decidem fugir para longe de Atenas, assim agindo se livram da pena capital ou do sacerdócio. Hérmia então convoca sua amiga Helena, que é apaixonada por Demétrio, conta-lhe da fuga e que assim ela pode desposar o rapaz. Porém, Helena, procura Demétrio e como prova de fidelidade, fala do plano de Hérmia e Lisandro. Demétrio resolve ir ao encontro do dois e leva Helena consigo.

 

No bosque nos arredores de Atenas o mundo mágico da floresta também está em luta amorosa, Titânia, a rainha das fadas vive às turras com Oberon, rei dos Elfos, por conta de um pajem pretendido por ele. Como vingança ele chama Puck um aparvalhado Elfo para que este colha a flor do amor perfeito e pingue nos olhos de Titânia quando estiver dormindo, pois assim que acordar se apaixonará pelo primeiro ser que olhar. Neste ínterim, Oberon ver Demétrio no bosque desprezando o amor de Helena, então ele ordena que Puck também pingue o líquido nos olhos do rapaz.

 

OBERON — De posse desse suco, hei de achar meio de surpreender Titânia adormecida, para nos olhos lhe deitar o liquido Ao despertar, o que enxergar primeiro, seja leão, urso, lobo, touro, mono buliçoso ou irrequieto orangotango, perseguirá com alma enamorada. E antes de eu lhe tirar da vista o encanto, o que farei com o suco de uma outra erva, obrigá-la-ei a me entregar o pajem.

 

Puck dar a Oberon o suco da flor e este põe nos olhos de Titânia enquanto dorme. Puck vai à floresta e lá confunde-se e ao invés de pingar nos olhos de Demétrio, o faz no de Lisandro. Quando este acorda encontra Helena e se declara apaixonado. No meio tempo Puck encontra trabalhadores que dormem no bosque e se assusta transformando, Bottom,  com a cara de burro. Titânia desperta e encontra com Bottom e se apaixona. A confusão está armada.

Oberon fica feliz ao saber que Titânia se apaixonara pelo Burro/Bottom, mas percebe o erro de Puck quanto à Demétrio:

OBERON — Que fizeste? Houve engano manifesto; foi posto o suco em um amante honesto; deixaste falso um fido namorado, sem que o remisso fosse castigado.
PUCK — O fado o quis; para um sincero amante, mil falsos há de haver a cada instante.
OBERON — Percorre a mata, mais veloz que o vento, e acha Helena de Atenas num mo­men­to. De aqui trazê-la ficas incumbido, enquanto o peito eu mudo ao moço infido.

 

Para piorar a situação Oberon põe o suco da flor do amor perfeito nos olhos de Demétrio e este quando acorda encontra Helena e também se apaixona por ela. Estabelece-se uma nova briga entre Demétrio e Lisandro, porém desta vez pelo amor de Helena, deixando Hérmia  desolada. Os dois, Oberon e Puck percebe o grande erro e tramam resolver o caso:

OBERON — Tudo provém de tua negligência. Sempre te enganas, caso não se trate de alguma brincadeira voluntária.
PUCK — Ó rei das sombras, podeis crer-me: houve erro. Não disseste que fácil me seria reconhecer o moço, pelas vestes de modelo ateniense? Não mereço censura desta vez, pois encantado deixei de Atenas jovem namorado. Mas alegra-me ver tudo assim torto, que para mim não há melhor desporto.
OBERON — Viste que os dois rivais foram em busca de uma clareira para duelo. Embrusca depressa a noite, bom Robim; defronte deles espalha as trevas do Aqueronte; aparta um do outro os moços namorados e os faze andar por diferentes lados. Imita de Lisandro a voz aguda, porque mais a Demétrio o ódio sacuda; ou de Demétrio finge a voz, de modo que não se encontrem nunca e, sobremodo cansados, possa o sono, irmão da morte, surpreendê-los com seu pesado porte, infundindo-lhes plácido sossego com suas tenras asas de morcego. Depois, nos olhos de Lisandro espreme desta outra plantazinha o suco estreme, que apresenta a virtuosa propriedade de lhes restituir a claridade, da ilusão lhes dei­xan­do in­tei­ra­men­te liberta a vista, o coração e a mente. Despertos, pensarão que esta balbúrdia tivesse sido, tão-so­men­te, estúrdia visão, talvez um simples sonho, apenas. Voltarão, desse modo, para Atenas os dois casais de fidos namorados, em laços sempiternos amarrados. Enquanto isso fizeres com carinho, pedirei a Titânia o pajenzinho, da vista logo lhe ti­ran­do o encanto que a faz de um monstro apaixonar-se tanto.


Ao encontrar Titânia que está perdidamente apaixonada por um asno,  Oberon oferece-lhe ajuda, desde que mostra resolva entregar-lhe o menino indiano para que ele desfaça a magia. Puck consegue iludir Demétrio e Lisandro pigando novamente o suco do amor perfeito, resolvendo a confusão.

Rompe o sol e com ele chega a corte Teseu, que avisado por Egeu sobre a fuga da filha e de Lisandro parte em busca deles. Ao encontrá-los, Egeu, exige a punição de Lisandro, e que Teseu decrete o casamento de Hérmia e Demétrio. Este, porém, declara que ama Helena e que não quer mais casar com Hérmia. Teseu convoca para que os casais os acompanhem e que juntos celebrem as núpcias.

Durante as núpcias os operários são convocados para representarem uma peça e o fazem com cenas das mais engraçadas. Sendo prontamente fechada por Puck, o espírito brincalhão dos Elfos:

PUCK — Se vos causamos enfado por sermos sombras, azado plano sugiro: é pensar que es­ti­ves­tes a sonhar; foi tudo mera visão no correr desta sessão. Senhoras e cavalheiros, não vos mostreis zombeteiros; se me quiserdes perdoar, melhor coisa hei de vos dar.

&nbsp
;

Comentários: É uma linda peça de Shakespeare, cheia de magia e encanto, tive o prazer de assistir ao espetáculo grandioso em 1991/92 do Grupo Ornitorrinco, liderado por Cacá Rosset, mas que tinha como grande destaque a maravilhosa Christiane Tricerri, numa atuação inesquecível. Foi uma representação de tirar o fôlego, unia humor, delicadeza poética, ousadia e beleza.

O livro na íntegra aqui:  Sonhos de uma noite de Verão

 

0 thoughts on “Sonhos de uma noite de verão”

  1. Deve ter sido linda a peça e cheia de graça…. Se o amor e a paixão pudessem ser reduzidos a gotas mágicas, com certeza causariam muitos estragos. Ainda bem que não é assim… Abraço.

  2. 1991/92 do Grupo Ornitorrinco, liderado por Cacá Rosset, ah, meu saudoso Chiquinho Brandáo, meu amigo, meu irmáo camarada, meu companheiro de fraternas batalhas por Sáo Paulo.

    Amei teu comentário a esta tua página impagável,m Arnóvio.

    “… de tirar o fôlego, unia humor, delicadeza poética, ousadia e beleza.”

    abraços

    Carmen

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: